Oswaldo Eustáquio
Alceuzinho Maron chama Roque de Covarde em Paranaguá

O ex-deputado estadual e apresentador do programa Litoral Urgente chamou o presidente da Câmara de Vereadores de Paranaguá, Marquinhos Roque de covarde.  "Primeiro Marquinhos Roque, vou dizer uma vez, vou dizer duas vezes. Tenha coragem de citar meu nome. Agora essa coisa de ficar dando indireta é covardia. Venha de frente. Aprenda, é assim que se enfrenta. Isso que você faz é coisa de criança. Ganha 12 mil para ficar criticando o apresentador", disse Maron.

"Antes andava na sombra do pai, agora anda na sombra do irmão" completou Alceuzinho. O arranca rabo começou depois do apresentador exibir em seu programa reportagens sobre o processo de infidelidade partidária que corre no TRE-PR contra o presidente da Câmara. 

Marquinhos Roque chegou a usar o plenário na sessão desta terça-feira para criticar Maron, sem citar o nome do apresentador. Em seu probrama vespertino, Maron deixou no ar uma crítica mostrando vários cartões do banco Itaú. A pergunta que ronda os bastidores do Paço Municipal é sobre o Mistérios desses cartões do Itaú. Quem souber, por favor, avise este jornalista. 

Justiça Eleitoral pode cassar mandato de Marquinhos Roque por infidelidade partidária

O processo 0600462-25.2018 ajuizado nesta sexta-feira pelo advogado Gustavo Bonini Guedes trata da perda de mandato do atual presidente da Câmara de Vereadores de Paranaguá, Marquinhos Roque por infidelidade partidária. O motivo da perda do mandato seria a saída de Marquinhos do MDB de Requião para o Podemos de Álvaro Dias no dia 4 de abril deste ano.

De acordo com a ação que começa ser apreciada pelo TRE-PR a partir da próxima semana, a desfiliação do partido "viola os termos da Resolução 22.610/2007 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determina a perda do mandato de qualquer parlamentar que promove a desfiliação do partido pelo qual foi eleito. O advogado Gustavo Guedes representa o primeiro suplente de vereador do MDB de Paranaguá João Mendes que pode assumir o mandato nos próximos meses, tendo em vista o fato que existem farto material de jurisprudência sobre o caso, que se torna mais grave, de acordo com a ação, pelo fato de Marquinhos Roque ser o presidente da sigla no município, sem qualquer justa causa para sua desfiliação.

O Tribunal Superior Eleitoral já se posicionou no sentido de que o suplente possui legítimo interesse jurídico para intentar a ação de perda de mandato eletivo por desfiliação sem justa causa.

João Arruda em Paranaguá neste sábado

A reportagem do Agora Paraná procurou o secretário geral da sigla no Paraná, deputado João Arruda, que lamenta a saída de Marquinhos Roque do MDB, pois Marquinhos sempre foi tratado com respeito pela direção estadual. Exemplo disso é sempre ter legenda para suas candidaturas.  Arruda vai estar em Paranaguá às 19 horas deste sábado e disse que as portas do partido continuam abertas o ex-mdbista parnanguara. 

 

 

Oswaldo Eustáquio, com informações do Agora Litoral

 

Prefeitura de Curitiba lança projeto de Combate ao abuso sexual infantil

 

A Prefeitura de Curitiba lançou nesta sexta-feira (18/5) a campanha “Abuso sexual infantil: esse mal não pode crescer”. A divulgação foi feita durante o XII Seminário Municipal de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no Salão de Atos do Barigui. O evento marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

De acordo com a superintendente de gestão da secretaria municipal da Saúde, Tania Pires, somente 10% dos casos de abuso sexual são denunciados. “Quando a criança ou o adolescente consegue falar sobre o assunto, o abuso já acontecia, em média de três a cinco anos”, explicou Tania, que também é médica especialista em saúde da família e palestrou no seminário.

A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Elenice Malzoni, destacou a importância de sensibilizar a população sobre a gravidade da violência sexual que atinge milhares de crianças e adolescentes e sobre a importância da denúncia.

“Queremos ampliar as estratégias de intervenção para o atendimento de famílias que passam por essa situação e isso também se dá através de campanhas, que visam dar voz à vítima e encorajar as pessoas a fazerem a denúncia”, explicou a presidente.

Pelo menos 527 mil pessoas são estupradas por ano no Brasil e destes casos, 70% das vítimas são crianças e adolescentes, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Em Curitiba, a Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente em Situação de Risco para a Violência registrou 543 casos de violência sexual contra esse público em 2017.

As notificações foram feitas em hospitais, unidades básicas de saúde, escolas, conselhos tutelares e nos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas) da FAS. “Esse tipo de violência já ocupa o sétimo lugar entre os motivos de acolhimento, ou 4,5% dos casos”, explicou Elenice.

Violência

Pesquisas mostram que 67,7% das vítimas são jovens e meninas e 62% dos agressores são homens, em sua maioria familiares, como pais e padrastos. Das 543 notificações registradas pela rede de proteção em Curitiba, a maioria das vítimas tinha de 5 a 14 anos, o que representa 62,6% dos casos. Em segundo lugar estiveram as crianças de 1 a 4 anos (26%) e em terceiro, adolescentes de 15 a 17 anos (10,9%).

Alerta

A campanha traz imagens de pessoas em frente a uma régua de crescimento usada em consultórios pediátricos, e junto o slogan “Abuso sexual infantil: esse mal não pode crescer”.

No material gráfico, a campanha informa como identificar sinais de que a criança ou o adolescente pode estar sofrendo violência sexual, como mudanças de comportamento e lesões físicas; além de informar os telefones de denúncias, como o 156, canal de comunicação da Prefeitura com a população, e o Disque 100, do Governo Federal. Peças da campanha estão sendo divulgadas também na internet e redes sociais.

O promotor do Fórum descentralizado do Boqueirão, Eduardo Monteiro, considera que é preciso um esforço conjunto para enfrentar o problema. “Sabemos que há uma subnotificação dos casos. O número é muito maior, mas muitas pessoas não denunciam”, disse. O bairro Boqueirão é um dos com maior número de notificações em Curitiba.

O XII Seminário Municipal de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes reuniu profissionais que prestam atendimento a crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual - que compõem a rede de proteção, além de representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Um dos temas de debate foi a Lei 13.431/17, da escuta protegida, que normatiza o sistema de garantia de direitos de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência. A nova legislação estabelece medidas de assistência e proteção a este público.

“Quebrar esse ciclo de violência é um trabalho complexo que precisa ser enfrentado e que exige mais das políticas públicas e da sociedade, porque em geral o agressor hoje foi abusado no passado”, disse a secretária da Saúde, Marcia Huçulak.

Para a secretária da Educação, Maria Silvia Bacila Winkeler, é preciso um diálogo intersetorial para reforçar o combate à violência.

 

APPA retoma operações no Corredor de Exportação após vistoria do Ministério do Trabalho
ASSCOM APPA

As operações no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá foram retomadas na tarde dexta sexta-feira (18).  A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) informa que paralisou as atividades do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá para a realização da inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) nas chamadas áreas do ‘Eixo Comum do Corredor de Exportação’, conforme descrito na Ordem de Serviço 074-2018, publicada nesta sexta-feira (18). A paralisação era necessária para a plena verificação por parte dos fiscais do ministério.

A mesma O.S. determinou as normas de segurança que devem ser seguidas para evitar situações de risco e apontou os ajustes que já foram realizados – como a instalação de grades de proteção, isolamento dos acessos às correias transportadoras e telas de proteção sobre os eixos.

De acordo com nota enviada pela APPA, ao final da vistoria e conferência por parte do MTE das medidas adotadas, realizada nesta sexta-feira(18), as atividades do Corredor de Exportação foram retomadas normalmente.

Porto de Paranaguá foi interditado por grave risco aos trabalhadores
ASSCOM APPA

O corredor de exportação do Porto de Paranaguá está interditado desde a tarde desta quinta-feira (17) por risco grave e iminente aos trabalhadadores. A decisão foi tomada pela própria APPA após uma vistoria realizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O Eixo Comum do Corredor de Exportação é responsável por 35% de toda carga que passa anualmente pelo Porto de Paranaguá.

A equipe de auditores do Ministério do Trabalho e Emprego ficaram horrorizadas com o grave risco ao trabalhador, sobretudo no acesso as correias do Porto de Paranaguá, que de acordo com o flagrante dado pelos auditores permanecem em operação enquanto os trabalhadores estão trafegando pelo local. Não havia controle de acesso adequada para saber quais trabalhadores entravam ou saiam da área de risco, tampouco barreiras fiscais ( portões) adequados as normas do MTE.

 A paralização afetou diretamente 11 terminais interligados diretamente  ao Porto e centenas de trabalhadores estão de braços cruzados. Esses terminais são responsáveis por atender milhares de empresas que utilizam o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá para escoar a safra agrícola do estado do Paraná e parte do Mato Grosso do Sul. 

A paralização foi realizada por iniciativa do superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Lourenço Fregonese, por meio da ordem de serviço 073/18 para tentar sanar os problemas para evitar uma bloquieio geral das operações por determinação do Ministério do Trabalho e Emprego que já informou o Porto que devido aos graves riscos ao trabalhador pode tomar medidas mais drásticas. A informação sobre a interdição não foi divulgada pelo Porto de Paranaguá. A reportagem do Agora Paraná teve acesso a ordem de serviço de interdição e entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da APPA que confimou a inforção e informou que na manhã desta sexta-feira, auditores do MPT estão fazendo inspeção nas melhorias feitas pela APPA para avaliar se liberam as operações no Corredor de Exportação no Porto de Paranaguá. 

 

 

Diretora de Hospital e dois enfermeiros são afastados por corrupção em Toledo

Em Toledo, no Oeste paranaense, a Justiça determinou o afastamento provisório da diretora de um hospital da cidade e de dois enfermeiros. A decisão, em caráter liminar, atende pedido do Ministério Público do Paraná, por meio da 4ª Promotoria de Justiça da comarca, que tem atribuição na área de proteção do patrimônio público. A Promotoria conduz a Operação Dolce Lavoro, que apura crimes relacionados à adulteração de dados de registro de frequência (ponto) de servidores públicos municipais da área da saúde para pagamentos indevidos de salário, incluindo horas extras, dentre outras irregularidades. A investigação prossegue em caráter sigiloso.

O afastamento dos servidores municipais foi determinado pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Toledo. No pedido liminar, o MPPR sustentou que a permanência dos investigados no serviço público poderia ocasionar prejuízo à investigação, o que foi acolhido pelo Judiciário. Com a decisão, os requeridos também estão proibidos de comparecer às dependências da sede da Prefeitura Municipal de Toledo, da Secretaria de Saúde de Toledo e no Núcleo Integrado de Saúde Dr. Jorge Milton Nunes, bem como de manter contato com testemunhas que já foram ou ainda serão inquiridas pelo Ministério Público.

Prefeito de Cascavel tem o maior índice de aprovação do Paraná

Um levantamento feito pelo Jornal Agora Paraná junto aos principais Institutos de Pesquisas do Paraná revela que o prefeito de cascavel, Leonaldo Paranhos tem o maior índice de aprovação do estado. De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Data Sonda a aprovação do governo Paranhos pelos cascavelenses é de 83,1%. A reportagem teve acesso também a pesquisas de outros insitutos realizadas em Paranaguá, Ponta Grossa, Curitiba, Londrina e Maringá. 

O diretor do Instituo, Jorge Sonda disse a reportagem que entre cinco grandes cidades que seu Instituto fez a pesquisa, o prefeito de Cascavel Paranhos é o que tem o maior índice de aprovação. Ele atribui esses números ao fato de Paranhos ser um prefeito próximo ao povo

“Ele tem um bom equilíbrio entre gestão e política. Consegue fazer política e estar presente na comunidade sob o ponto de vista das políticas públicas. O Paranhos vai conferir as obras pessoalmente. Para ele não tem sábado nem domingo. Tem sido um prefeito presente para o povo, atuando de forma concreta e permanente. Tudo isso somado a sua forte atuação nas redes sociais, contribuiu para o seu alto índice de aprovação”, disse Jorge Sonda.

Paranhos foi eleito prefeito de Cascavel em 2016 quando venceu a eleição no primeiro turno. Questionado pela reportagem, Paranhos disse estar feliz com sua aprovação. E que isso é um combustível para trabalhar cada dia mais. Ser prefeito de cascavel sempre foi um sonho de Paranhos. O sonho virou realidade. Paranhos nasceu na cidade de Paraíso do Norte. É filho da "Dona Preta". Quando o filho saiu de casa, ainda jovem, a mãe o fez jurar que nunca usaria drogas, bandeira que Paranhos carrega até hoje. 

 

Jorge Lange entre a cruz e a espada

O vice-prefeito de Cascavel Jorge Lange está entre a cruz e a espada. Sem decolar nas pesquisas, amigos e correligionários não querem que ele seja candidato para evitar o desgaste político, pois se Jorge for candidato e fizer uma votação pequena, que é a tendência devido as graves denúncias que culminaram em sua exoneração da Secretária de Obras em Cascavel, ele pode perder força política na região.

O crescimento da candidatura do policial Madril e o apoio do prefeito Paranhos também as candidaturas de Adelino e Gugu Bueno deixam cada vez mais longe as chances de Lange, que, ao que tudo indica, terá uma dura decisão nos próximos dias. Sobram poucos votos na capital do oeste e como Lange não construiu base fora, o sonho fica mais distante. André Bueno, além dos votos em Cascavel, disse a este jornalista que tem base em mais de vinte municípios.

Após denúncia de fraude, prefeito de Catanduvas cancela licitação

O prefeito de Catanduvas Professor Moisés cancelou na tarde desta segunda-feira a abertura de envelopes do Pregão 03/2018 que estava previsto para hoje no oeste do Paraná. Após denúncia do jornal Agora Paraná sobre fortes indícios de direcionamento no processo licitatória que pretende contratar empresa de publicidade para cidade, o prefeito, tão logo tomou conhecimento, determinou o cancelamento da licitação e prometeu abrir um novo processo para que outras empresas possam participar com isonomia. Além disso, o prefeito também vai trocar o corpo técnico que vai julgar as peças publicitárias. 

Na noite deste domingo o Agora Paraná revelou que o processo licitatório 03/2018 da prefeitura de Catanduvas previa  a contratação de uma agência para produzir as propagandas da cidade no valor de até R$ 150 mil tem fortes indícios de direcionamento do certame. Com exclusividade a reportagem do Agora Paraná teve acesso ao edital que prevê no item 10.1.1.1 que a empresa comprove vínculo empregatício com pelo menos cinco profissionais como redator, diretor de arte, arte final, mídia, produção e atendimento, tornando o processo inviável para pequenas empresas, o que contraria a Lei 8.666/93 que dispõe sobre as licitações.

Reportagem descobriu empresa que venceria o certame um dia antes da entrega dos envelopes

A reportagem do Agora Paraná descobriu todo o esquema que estava montado para beneficiar uma empresa da cidade de Santa Helena, município próxima a Cascavel. O nome da empresa que iria ganhar a licitação foi revelada ao prefeito de Catanduvas que prometeu tomar todas as medidas necessárias para que tudo seja feito de forma transparente na próxima licitação e disse que repudia qualquer ato ilícito e vai toma as providências necessária com os responsáveis pelo fato.

Ministério Público abre investigação sobre “Caixa Preta” da Unioeste

O Ministério Público do Paraná abriu investigação para apurar possíveis atos de irregularidades e improbidade administrativa na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioste). O processo tramita em segredo de justiça e por isso não pode ser divulgado o conteúdo da investigação.

Crise institucional

Recentes denúncias da imprensa local e estadual sobre os supersalários, indicações de deputados para cargos comissionados, enfermeiras fantasmas e a depilação a laser resultaram em uma crise institucional na gestão do reitor Cascá. Estudantes, corpo docente e a sociedade do oeste do Paraná cobram do reitor transparência e divulgação dos nomes dos servidores comissionados, funções e por quais deputados foram indicados.

25 deputados

Em recente entrevista ao jornalista Carlos Moraes da Catve, o reitor disse que atende a interesses de mais de 25 deputados, tornando a faculdade um cabide de emprego político, enquanto os amigos, amantes, namoradas de políticos recebem salários altos sem ter uma função definida, o Campus de Cascavel teve que demitir quase um terço das zeladoras da Universidade.