Oswaldo Eustáquio
Jorge Lange entre a cruz e a espada

O vice-prefeito de Cascavel Jorge Lange está entre a cruz e a espada. Sem decolar nas pesquisas, amigos e correligionários não querem que ele seja candidato para evitar o desgaste político, pois se Jorge for candidato e fizer uma votação pequena, que é a tendência devido as graves denúncias que culminaram em sua exoneração da Secretária de Obras em Cascavel, ele pode perder força política na região.

O crescimento da candidatura do policial Madril e o apoio do prefeito Paranhos também as candidaturas de Adelino e Gugu Bueno deixam cada vez mais longe as chances de Lange, que, ao que tudo indica, terá uma dura decisão nos próximos dias. Sobram poucos votos na capital do oeste e como Lange não construiu base fora, o sonho fica mais distante. André Bueno, além dos votos em Cascavel, disse a este jornalista que tem base em mais de vinte municípios.

Após denúncia de fraude, prefeito de Catanduvas cancela licitação

O prefeito de Catanduvas Professor Moisés cancelou na tarde desta segunda-feira a abertura de envelopes do Pregão 03/2018 que estava previsto para hoje no oeste do Paraná. Após denúncia do jornal Agora Paraná sobre fortes indícios de direcionamento no processo licitatória que pretende contratar empresa de publicidade para cidade, o prefeito, tão logo tomou conhecimento, determinou o cancelamento da licitação e prometeu abrir um novo processo para que outras empresas possam participar com isonomia. Além disso, o prefeito também vai trocar o corpo técnico que vai julgar as peças publicitárias. 

Na noite deste domingo o Agora Paraná revelou que o processo licitatório 03/2018 da prefeitura de Catanduvas previa  a contratação de uma agência para produzir as propagandas da cidade no valor de até R$ 150 mil tem fortes indícios de direcionamento do certame. Com exclusividade a reportagem do Agora Paraná teve acesso ao edital que prevê no item 10.1.1.1 que a empresa comprove vínculo empregatício com pelo menos cinco profissionais como redator, diretor de arte, arte final, mídia, produção e atendimento, tornando o processo inviável para pequenas empresas, o que contraria a Lei 8.666/93 que dispõe sobre as licitações.

Reportagem descobriu empresa que venceria o certame um dia antes da entrega dos envelopes

A reportagem do Agora Paraná descobriu todo o esquema que estava montado para beneficiar uma empresa da cidade de Santa Helena, município próxima a Cascavel. O nome da empresa que iria ganhar a licitação foi revelada ao prefeito de Catanduvas que prometeu tomar todas as medidas necessárias para que tudo seja feito de forma transparente na próxima licitação e disse que repudia qualquer ato ilícito e vai toma as providências necessária com os responsáveis pelo fato.

Ministério Público abre investigação sobre “Caixa Preta” da Unioeste

O Ministério Público do Paraná abriu investigação para apurar possíveis atos de irregularidades e improbidade administrativa na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioste). O processo tramita em segredo de justiça e por isso não pode ser divulgado o conteúdo da investigação.

Crise institucional

Recentes denúncias da imprensa local e estadual sobre os supersalários, indicações de deputados para cargos comissionados, enfermeiras fantasmas e a depilação a laser resultaram em uma crise institucional na gestão do reitor Cascá. Estudantes, corpo docente e a sociedade do oeste do Paraná cobram do reitor transparência e divulgação dos nomes dos servidores comissionados, funções e por quais deputados foram indicados.

25 deputados

Em recente entrevista ao jornalista Carlos Moraes da Catve, o reitor disse que atende a interesses de mais de 25 deputados, tornando a faculdade um cabide de emprego político, enquanto os amigos, amantes, namoradas de políticos recebem salários altos sem ter uma função definida, o Campus de Cascavel teve que demitir quase um terço das zeladoras da Universidade.

Licitação de agência de publicidade tem cartas marcadas em Catanduvas

O processo licitatório 03/2018 da prefeitura de Catanduvas que prevê a contratação de uma agência para produzir as propagandas da cidade no valor de até R$ 150 mil tem fortes indícios de direcionamento do certame.  Com exclusividade a reportagem do Agora Paraná teve acesso ao edital que prevê no item 10.1.1.1 que a empresa comprove vínculo empregatício com pelo menos cinco profissionais como redator, diretor de arte, arte final, mídia, produção e atendimento, tornando o processo inviável para pequenas empresas, o que contraria a Lei 8.666/93 que dispõe sobre as licitações.

Inexequível

Uma das empresas que disputa a licitação questionou a prefeitura sobre este item, já que par ter todos esses profissionais, a empresa teria uma folha de pagamento muito maior do que o edital renderia em 12 meses. Em resposta a pedidos de impugnação, a prefeitura informou que as medidas administrativas destas empresas não são problema do município.

Outro item questionado por empresas participantes é a comissão técnica que julgara a empresa vencedora. De acordo com o pedido de informações à prefeitura, o nomes dos julgadores não aparece no edital de licitação. Na mesma retificação, a prefeitura informou o nome dos julgadores do processo licitatório que ocorre nesta segunda-feira (7).

Não sabia?

Um deles é o jornalista Francis Ricardo Schley, que segundo o seu perfil nas redes sociais, é funcionário da Câmara dos Vereadores de Santa Helena. A reportagem do Agora Paraná entrou em contato com ele por telefone, que em primeiro momento disse desconhecer que faria parte da banca julgadora da licitação. Depois voltou atrás e disse que havia lembrado, mas não sabia que o processo seria aberta nesta segunda-feira. Questionado sobre quem o convidou para fazer parte da banca julgadora, Francis disse que foi alguém do município. Ele também não soube dizer a hora que os envelopes seriam entregues pelas empresas. Ele preferiu não responder mais perguntes por telefone e pediu que fosse enviado um email com os questionamentos, mas até o fechamento da reportagem não foram respondidos.

Outro Lado

O jornalista Francis enviou as respostas por email, conforme combinado. Segue a íntegra do conteúdo.

Conforme contato telefônico, estou reafirmando o que resumi e entendo que o trabalho jornalístico envolve estas situações, mas prezo por minha imagem, contanto que nunca fiz parte de nenhuma falcatrua. Não admito que me nome seja envolvido em quaisquer reportagem ou postagem que venha denegrir minha índole ou colocar em xeque minha profissão.

Espero que pelo respeito em responder o questionário, possamos manter bom relacionamento! Estou à disposição para diálogos posteriores.

 

1)Como estou em meu momento de descanso pós viagem,acabei não compreendendo do que se tratava inicialmente, mesmo porque o Sr. não deixou isso claro. Sei do processo, mas não das datas, amanhã não irei, mesmo porque para isso devo ser convocado para sessão específica de avaliação das peças.

 

2) Já participei de outros processos em municípios da região, pelo que recordo amanhã devem somente receber os envelopes do processo, pois a avaliação, no que compete a minha área, é julgada em sessão específica para isso, sem a presença de empresas, somente a comissão técnica se reúne para dar as notas.

 

3)Os profissionais da nossa área, por responsabilidade social, atuam neste tipo de necessidades dos municípios, se ninguém ajudasse como seria, não é? Mantemos uma rede de contatos entre os profissionais na região, foi assim que  acabaram me pedindo para ajudar...

 

 

Fantasmas, enfermeiras da Unioeste estudam medicina no Paraguai em horário de expediente

Se houvesse um livro de chamadas para as enfermeiras da Unioeste, seria fácil descobrir as boas profissionais, aquelas que dedicam suas vidas para salvar vidas e aquelas que estão lesando a sociedade e contribuindo para mortes dos cidadãos de Cascavel. O assunto é duro, constrangedor, mas precisa ser debatido. 

A reportagem do Agora Paraná teve acesso a alguns plantões de enfermeiras do HUOP e descobriu que algumas delas tem plantões de até 60 horas ininterruptas nos fins de semana. Por óbvio, elas não são encontradas no Hospital por todo esse período, mas podem ser facilmente encontradas dormindo no momento que deveriam estar de plantão.

 Estes plantões inusitados são para que elas possam estudar medicina em faculdades do Paraguai em horário de atendimento médico.  Outra ilegalidade é que por força da Lei, servidores públicos precisam pedir autorização quando precisarem sair do país, em horário de trabalho, dificilmente o pedido seria deferido. Tem dinheiro estadual e federal indo para o ralo. 

Nos corredores do hospital, os profissionais chamam essa fraude de máfia da enfermagem. Os bons enfermeiros acabam também sendo prejudicados, pois com a ausência das colegas que querem ser médicas, os que carregam o piano tem que trabalhar dobrado.

Em tempos de senso comum sobre a corrupção na política, encontramos também atos de corrupção e que geram mortes por profissionais que deveriam salvar vidas. A denúncia foi realizada para os órgãos competentes, que podem descobrir de forma simples, pois os rastros

da fraude são evidentes. Algumas das plantonistas de 60 horas ficaram com a consciência pesada e pediram transferência para o Hospital de Foz do Iguaçu,  argumentando que estão matriculadas no curso de medicina no país vizinho, pedido que por óbvio foi indeferido. A solicitação de transferência seria aceita apenas mediante permuta, ou seja, se outro profissional viesse para Cascavel para não haver prejuízo ao atendimento.

As fraudes que estão sendo expostas da Unioeste não tornam a Universidade menor. É por lá que a nova geração busca suas conquistas e todos queremos uma Unioste cada vez mais forte, mas para que isso aconteça é necessário que a caixa preta seja aberta e haja transparência tanto no caso dos supersalários, farra dos comissionados e das enfermeiras fantasmas.

Kaefer perde foro e será julgado em primeira instância por crimes como Formação de Quadrilha

A redução do alcance do foro privilegiado aos deputados e senadores decidido pelo Supremo Tribunal Federal  (STF) nesta semana afeta diretamente o deputado Alfredo Kaefer (PODEMOS).  Ele responde a pelo menos oito inquéritos e uma ação pena no STF, por crimes falimentares, contra o sistema financeiro, a ordem tributária, o patrimônio e a administração em geral. O deputado também responde um processo por formação de quadrilha.  

Kaefer que deve ter os processos remetidos à primeira instância após a mudança no foro privilegiado. Ele chegou a ser o deputado com o maior patrimônio declarado entre os 513 eleitos, com R$ 108,5 milhões. Kaefer é suspeito de dar calote em credores e fazer manobras contábeis no patrimônio familiar com o objetivo de salvar bens empenhados em execução judicial.

Em entrevista à rádio Cbn Curitiba, ele disse que sempre defendeu o fim do foro. E que seus processos não são por conta do mandato e sim por atividades empresariais e que está tranquilo porque seus processos serão julgados como de qualquer cidadão comum.

MP recomenda exoneração de Secretário de Obras em Guaraqueçaba

A 1ª Promotoria de Justiça de Antonina, recomendou ao Município de Guaraqueçaba, no Litoral paranaense, a imediata exoneração do atual secretário de Obras e Transporte da cidade, Aroldo Salustiano de Arruda, o Aroldo Barriga, ex-prefeito da cidade.

O agente público, quando exercia o cargo de prefeito nos anos de 2011 e 2012, teve suas contas julgadas irregulares por duas vezes pelo Tribunal de Contas do Estado, fato que impede sua posse em cargos públicos nos termos da legislação vigente.

De acordo com o Ministério Público, o secretário ainda não realizou o ressarcimento devido ao erário, estando pendentes duas execuções fiscais ajuizadas pelo Município de Guaraqueçaba. Ele ainda figura como réu em ações de improbidade administrativa decorrentes de irregularidades em obras públicas.

PSC lança pré-candidatura de Takayama ao Senado
Deputado Takayama em entrevista ao jornalista Oswaldo Eustáquio

Lideranças do Partido Social Cristão (PSC do Paraná querem que Takayama dispute a eleição ao Senado. Deputado Federal por cinco mandatos consecutivos e com uma votação expressiva de 163 mil votos na última eleição, Takayama.. Pastor da Assembleia de Deus, conhecido nacionalmente por cruzadas que levavam centenas de milhares de pessoas a cultos ao ar livre, Takayama conta com apoio das igrejas Assembleia de Deus que estão estabelcidas em todos os 399 municípios do estado do Paraná. Ele confirimou a possibilidade de disputar o senado ao jornalista Oswaldo Eustáquio na noite desta quinta-feira (3), em Curitiba.

Caso os Conselhos de Pastores do estado também declarem apoio a Takayama, o pastor pode ser eleito ao Senado na primeira vaga, já que de acordo com o último senso, o povo evangélico já chega a quase 30% da população. Em cidades como Paranaguá, este número chega a quase 50%. Paranaguá, que Takayama deve contar com o apoio do correligionário André Pioli (PSC), que foi segundo colocado na eleição para prefeito com cerca de 40% das intenções d evoto. O prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, político promissor que assumiu de forma tácita a liderança política na região oeste também pode capitanear a candidatura do pastor. Essa conjuntura política pode ajudar também a candidatura de Ratinho Júnior ao governo, pois com Takayama na vaga para o Senado, os votos evangélicos devem ficar em sua maioria com Ratinho Júnior. 

 

“Grupo de partido político domina Unioeste”, diz professora

Há 30 anos servindo a comunidade cascavelense na Unioeste, a professora e cientista política Rosana Nazzari mostrou coragem ao denunciar que a Unioeste é dominada por um determinado partido político. De acordo com Rosana, indicados deste partido estão ocupando cargos comissionados apenas por questões políticas. “Os mais amigos ocupam os cargos maiores, grandes cargos políticos estão usando a universidade”, disse a professora e cientista política.  

Quase 600 comissionados

A grave denúncia veio à tona em um programa da Catve apresentado pelo jornalista Carlos Moraes. “Pegar um amigo e colocar de diretor é errado. Vamos levantar esses nomes e passar para a imprensa de Cascavel. A gente sabe quem é. A gente esbarra com eles na Universidade.Eu vou apontar os defeitos sim e vou dizer os nomes futuramente”, disse Rosana.  A professora disse ainda que tem muita gente boa na Unioeste, mas que vai apontar os defeitos e dizer os nomes daqueles que estão se locupletando com o dinheiro público. Ao todo são 597 cargos comissionados na Unioste. A farra dos cargos atende, de acordo com denúncias recebidas pelo jornal Agora Paraná à amigos, amantes e correligionários de deputados da região.

A polêmica iniciou após entrevista do reitor Cascá ao jornalista Carlos Moraes. O reitor disse que precisa atender a indicações de mais de 25 deputados da região e que não vê problema nisso, ao contrário, esses assessores são importantes na busca de emendas parlamentares ara a Universidade. A professora Rosana tem opinião divergente.

“Deputados dão esmola com dinheiro alheio. Você não está fazendo favor para nós, político sem vergonha”, disse a professora se referindo aos deputados que aprovam emendas para Unioeste.

Reitor da Unioeste é conivente com farra de cargos políticos

Em crise, uma das maiores Universidades Públicas do Paraná, a Unioeste, demitiu a metade dos zeladores da Universidades. Eram 34 servidores que ajudavam na limpeza, agora são apenas 14. Falta dinheiro para insumos e alguns laboratórios estão sucateados. Na contramão da crise que atinge diretamente os milhares de alunos, o reitor da Unioeste tem quase 600 cargos de confiança. Parte deles indicados por políticos. O reitor da Unioeste, Paulo Sérgio Wolff, conhecido como  Cascá, admitiu em entrevista ao vivo ao jornalista Carlos Moraes da Catve.

25 deputados

"Eu tenho dez deputados estaduais e 15 deputados federais nas regiões oeste e sudoeste. Eu tenho alguns cargos que me ajudam em Brasília na questão de reivindicar emendas para os deputados.", disse o reitor. Questionado pelo jornalista Carlos Moraes sobre a moralidade, o reitor disse que ao contrário, as indicações políticas agregam. "Eu dependo de recursos do Estado", disse.

Universidade tem três vezes mais cargos de confiança que prefeitura de Cascavel

Para se ter uma idéia do poder do reitor, ele tem 597 de livre nomeação, enquanto toda a estrutura da prefeitura de Cascavel tem mais ou menos 200 cargos que podem ser nomeados. As nomeações de cunho político, ao contrário do que disse o reitor, são prejudiciais a sociedade de Cascavel. Por óbvio, que cargos de confiança são necessários para um governo, neste caso para uma universidade, mas não nesta quantidade absurda e sem qualquer transparência dos nomes de quem os ocupa, tampouco função e local de trabalho destes comissionados. Nos bastidores do poder cascavelense é comum se ouvir os pedidos de indicação de amigos, corregilionários e até amantes, de acordo com denúncia do jornalista Carlos Moraes. 

Depilação a Laser

A reportagem do Jornal Agora Paraná descobriu que uma funcionária que teve indicação política tem uma contrapartida inusitada por quem a indicou. Ela precisa depilar a virilha a laser. O nome do deputado que a indicou não vai ser divulgado para não invadir a vida pessoal tanto da moça, quanto do nobre deputado com gostos inusitados para gastar o dinheiro público.