Oswaldo Eustáquio
“A cachorrada” pode custar o mandato de Marquinhos Roque em Paranaguá
Marquinhos Roque disse que preferia votar em um cachorro do que em Requião, que rebateu: "Cachorro vota em Cachorro"

A cachorrada deu com os burros na água. O plano era quase perfeito, mas esqueceram de combinar com os russos. Quem de Paranaguá não lembra da emblemática briga entre Marquinhos Roque e Roberto Requião. O vereador Parnanguara disse que preferia votar em um cachorro do que votar em Requião, que retrucou: “Cachorro, tem que votar em cachorro. Pois bem, a cachorrada de outrora parece que fez um acordo branco, que está prestes a implodir. Se o plano desse certo, Requião liberaria o desafeto e retomaria o comando do partido na cidade mãe do Paraná.

Marquinhos Roque deixou o PMDB fora do prazo legal, pois a janela que se abriu não alcança os vereadores, portanto, conforme jurisprudência do STF, o partido poderia requere o mandato, mas Roberto Requião fez vistas grossas e não pediu e não deve pedir o mandato de vereador para o velho MDB de guerra. Este prazo acaba daqui a quatro dias. Entretanto, abre-se um novo prazo para que o suplente, solicite a vaga. O plano estava perfeito, mas esqueceram do suplente, João Mendes, que está ávido para assumir o cargo, que agora, por força da lei, é de direito dele.

João Mendes contratou o advogado Gustavo Guedes para requerer o mandato de Marquinhos Roque por infidelidade partidária

Com o fracasso do acordo que ficou conhecido em Paranaguá como “A Cachorrada”, o vereador Marquinhos Roque pode perder o mandato de vereador de Paranaguá e consequentemente deixar também a presidência da Câmara dos vereadores. No próximo dia 6 de maio, o primeiro suplente do PMDB vai requerer a vaga de Marquinhos Roque sob a alegação de infidelidade partidária. Marquinhos deixou o PMDB e se filiou ao Podemos junto como seu irmão, o prefeito Marcelo Roque. João Mendes contratou o renomado advogado Gustavo Guedes para ajuizar a ação.

O que diz a lei?

Com as eleições gerais de 2018 se avizinhando, e se utilizando (erroneamente) da chamada “janela partidária”, e sem justa causa, portanto, muito vereadores que almejam concorrer nesse escrutínio estão “trocando de partido político”, hipótese cristalizadora da dita infidelidade partidária. Noutras palavras, então, a questão é: na hipótese de perda de mandato por infidelidade partidária, a quem deverá ser dirigida a cadeira parlamentar vaga? Ao primeiro suplente do partido ou ao primeiro suplente da coligação partidária (na hipótese de terem celebrado coligação proporcional no pleito eleitoral formador da representação, evidentemente)? Como recorte, focaremos na jurisprudência consagrada sobre o tema no âmbito do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral.

Já na esfera de atuação do TSE, há uma considerável cadeira decisória a afirmar que, na hipótese de perda de mandato por infidelidade partidária, a vaga remanescente seria ocupada pelo primeiro suplente do partido, não da coligação. Por exemplo: “O precedente do Supremo Tribunal Federal (MS 30.260/DF, Rel. Min. Cármen Lúcia) não serve de balizamento para o deslinde do caso em exame, sobretudo porque cuida de matéria distinta, qual seja, regula os efeitos da vacância do mandato parlamentar em decorrência do licenciamento de seus titulares para o exercício de outras funções; a toda evidência não se discutiu no mencionado precedente a ordem de vocação para os casos de infidelidade partidária” (Pet. 757-34.2013.6.00.000, de 9.9.2014). Assim sendo, “o mandato pertence ao partido e, em tese, estará sujeito à sua perda o parlamentar que mudar de agremiação partidária, ainda que para legenda integrante da mesma coligação pela qual foi eleito” (TSE. Resolução 22.580, de 30/8/2007, min. Caputo Bastos

Supersalários na Unioeste ultrapassam rendimentos do Presidente da República

Um levantamento feito pela reportagem do jornal Agora Paraná apurou que mais de uma dezena de servidores da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) tem vencimentos superiores, e em alguns casos muito superiores ao presidente da República. Os valores recebidos ultrapassam também o teto constitucional de R$ 33.763 mil, valor do salário dos Ministros do Supremo.

R$ 86 mil em um mês

A reportagem teve acesso a Folha de Pagamento dos servidores. Um exemplo é da folha de pagamento que pode ser visto a seguir. A média de rendimentos deste servidor é de R$ 39 mil por mês. Sendo que em dezembro, com o décimo terceiro, o servidor chegou a receber R$ 86.932 mil somente naquele mês. Este servidor recebeu em apenas um mês de trabalho, o equivalente ao que um trabalhador que recebe um salário mínimo por mês levaria sete anos e meio para juntar, caso não gastasse nada neste período.

Para driblar a lei do teto constitucional, os vencimentos são colocados como salário, benefícios e outros valores. Dessa forma, não se aplicam os redutores constitucionais. Assim os servidores pagam apenas o imposto de renda retido na fonte.

A tradição brasileira que lei, para ser obedecida, precisa “pegar”. O estabelecimento de um teto para a remuneração do servidor público — o salário de ministro do Supremo, R$ 33.763 —, parece ser exemplo de uma regra que não “pegou”. Mas nada é simples no mundo da burocracia do Estado, nem visível para a sociedade, mesmo sendo ela responsável por pagar todas as contas públicas.

Fundação Iniciativa celebra a Páscoa com festa
Foto: Cid Francisco Alonso Pierin Jr

 

Por Hugo Alves

Na semana que antecede a Páscoa, a Fundação Iniciativa realizou uma festa para celebrar a data. Crianças e famílias atendidas pelo projeto receberam chocolates em uma celebração muito especial. “O evento foi possível graças ao empenho, carinho e dedicação das pessoas com iniciativas e solidárias às causas humanitárias. E mais uma vez a nossa festa foi linda e emocionante! As imagens dizem tudo!”, comemorou Zorba Mestre Dallalana, diretor da instituição.

 

Localizada no bairro do Uberaba, em uma casa adaptada à acessibilidade, o projeto Iniciativa Especial atende 74 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos com múltiplas deficiências e suas famílias. Nesse local recebem assistência e educação social, além de atendimento de fisioterapia. A ação inclui o abastecimento mensal de cestas básicas, fraldas e leite especial aos assistidos.

 

A instituição - Criada em 18 de maio de 1988, a Fundação Iniciativa é uma organização sem fins lucrativos. Idealizada por um grupo de jovens sensibilizados com a grande quantidade de crianças abandonadas pelas ruas, criou-se um novo conceito em sistema institucional, a “Casa Lar”, onde, 30 crianças ou adolescentes, afastados da situação de risco pessoal e social, com idade entre zero a 18 anos, são acolhidas e recebem proteção e atendimento multidisciplinar.

 

Em três “Casas Lares”, “mães cuidadoras” realizam tarefas cotidianas, individuais e coletivas, priorizando um ambiente agradável e acolhedor e um centro de atividades garante suporte material, técnico, administrativo e profissional.

Colabore - Quem quiser conhecer ou mesmo deseja ajudar o projeto, pode acessar o site:  www.finiciativa.org.br ou ligar para: 3019-7614.

ERRATA: Estudo de Berté não trará economia de R$ 1 milhão A economia seria de R$ 1,2 milhão

Diferente do que foi publicado pelo Agora Paraná na tarde de hoje, o secretário Juarez Berté em um estudo aprofundado sobre as três pontes no Eco Park, não conseguirá economizar R$ 1 milhão na obra e resolver e problema de forma legal. A informação correta é que Berté conseguirá economizar R$ 1,2 milhões em uma obra licidada por R$ 1,8 milhão.

Paranhos, quer ganhar R$ 1 milhão para Cascavel? É só ligar para o Berté.

Berté já tem o estudo pronto, mas como não é mais secretário do Meio Ambiente de Cascavel não apresentou ao chefe do executivo. Consultado pela reportagem, Berté disse que se Paranhos o procurar ele passa o projeto gratuitamente para o bem dos cofres públicos. 

 

Berté diz ter solução para resolver polêmica do Eco Park e ainda economizar R$ 1 milhão

O ex-secretário do Meio Ambiente, Juarez Berté disse ao Agora Paraná que tem uma solução legal para resolver o imbróglio do Eco Park, no bairro do Morumbi. A tentativa de fraude envolvendo a empresa e servidores públicos, inclusive do primeiro escalão da prefeitura de Cascavel está sendo investigada pelo Ministério Público do Paraná.

Berté garante que nesses dias fora da secretaria fez um estudo minucioso sobre o caso e tem uma solução que pode dar um fim no imbróglio e ainda trazer economia de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos de Cascavel. Ele não quis revelar a reportagem o resultado de seu estudo. Ele disse que está disposto a compartilhar a solução com o prefeito Paranhos, mas o chefe do executivo que o demitiu pela Imprensa, não procurou mais o ex-secretário.

Partido de Fidelix pode ter chapa completa no Paraná

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) pode ter chapa completa nas eleições 2018 no Paraná. Com a chancela do presidente nacional do partido, Levy Fidelix, a direção estadual do partido, dirigido no estado por Geonísio Marinho já rodou mais de 100 municípios para compor a legenda.

Nesta segunda-feira (26) Geonísio Marinho e o pré-candidato ao Senado Federal, Zé Boni fizeram reuniões nas três principais cidades do litoral, entre elas Paranaguá, que sedia o segundo maior Porto da América do Sul. 

A pré-candidatura ao Senado de Zé Boni tem sido recebida com alegria pelos correligionários do partido em todo o estado. A repercussão é que Boni tenha chances reais de disputar uma das vagas pelo Paraná.

O partido também tem bons nomes para candidatura ao governo do estado, podendo vir para o pleito com dois candidatos ao senado e candidato ao governo além de uma chapa de deputado estadual e federal muito forte. 

O crescimento do partido é atribuído ao excelente trabalho realizado pela direção estadual, sob o comando do experiente Geonísio Marinho e ao excelente desempenho de Fidelix nos debates da última eleição presidencial, o que tornou o PRTB um partido importante no processo eleitoral deste ano. 

BANDIDOS DISPARAM QUATRO TIROS CONTRA SEDE DE JORNAL EM PARANAGUÁ

BANDIDOS DISPARAM QUATRO TIROS CONTRA SEDE DE JORNAL EM PARANAGUÁ.

Paranaguá voltou aos tempos da ditadura. Atenção GAECO!

A Sede do Jornal dos Bairros, o JB Litoral, principal jornal impresso de Paranaguá e região acaba de ter sua sede alvejada com quatro tiros. Os tiros foram desferidos na porta de vidro do veículo de comunicação na direção do computador do jornalista Gilberto Fernandes, que nos últimos doze meses vem trazendo graves denúncias contra a prefeitura de Paranaguá.

Ainda nesta semana, o ativista Luciano Mergulhador foi preso pela Guarda Municipal da cidade de forma irregular. O motivo fútil da prisão foi o manifestante protestar porque a passarela que liga Paranaguá a Ilha dos Valadares estar prestar a cair e causar grave acidente a população. no dia seguinte, o ativista foi espancando

As milícias estão atuando em Paranaguá em nome da prefeitura e do prefeito da cidade.

ATENÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO

Cida Borguetti assume o governo do Paraná nesta segunda-feira

A partir desta segunda-feira o Paraná será governado por uma mulher. Maria Aparecida Borghetti, conhecida como Cida Borguetti foi a deputada estadual que mais teve leis aprovadas na Assembleia Legislativa. Foram cento e uma leis,  com destaque para a lei que institui o Dia Estadual de Luta contra o Câncer de Mama. 

Cida iniciou sua carreira política na juventude do PSD, no periódo em que o governador era Ney Braga. Aprendeu sobre política dentro de casa com seu pai, que era apaixonado pelo Getulismo. Cida será governadora por nove meses assumindo a vaga de Beto Richa, mas quer ser a primeira governadora eleita pelo Paraná. 

Ela deve contar com o apoio do governo federal, já que seu marido Ricardo Barros é atual Ministro da Saúde, do governo municipal de Curitiba, com apoio de Rafael Greca, além de sair com uma base muito forte de Maringá, cidade onde seu cunhado foi prefeito. 

Richa anuncia na segunda-feira candidatura ao Senado

O governador Beto Richa deve anunciar sua renúncia nesta segunda-feira após reunião com a cúpula do Palácio Iguaçu. Ele deve anunciar ainda sua pré-candidatura ao Senado Federal, antes de ir a Campo Mourão para inauguração da Maternidade da Santa Casa em Campo Mourão. Dessa forma, Richa deve antecipar sua renúncia que estava prevista para o dia 7 de abril. 

Máfia das apostas atuou no campeonato paranaense

Documentos obtidos pela reportagem do Agora Paraná revelam que a máfia das apostas atuou no campeonato paranaense de futebol com o objetivo de manipular resultados em troca de dinheiro a jogadores. O caso veio à tona após vazamento de mensagens via whattsapp entre os jogadores do Rio Branco de Paranaguá, clube que disputou a final da primeira fase do campeonato paranaense.  A reportagem teve acesso a denúncia feita pela diretoria nesta sexta-feira (23) no Ministério Público Federal. O documento informa que o órgão vai investigar que o jogador Thiaguinho havia oferecido por intermédio de um bicheiro R$ 5 mil para quatro jogadores para manipular o resultado de um jogo em prejuízo ao Rio Branco. Ou seja, entregar o jogo pelo dinheiro.

Jogador confirma que intermediou a tentativa de manipulação

O jogador Thiaguinho confirmou a reportagem do Agora Paraná em primeira mão que ligou para o atleta Rodrigo Jesus intermediando a conversa entre o atacante e o bicheiro. Eles ofereceram também o mesmo valor ao goleiro do Rio Branco

“O Bicheiro sempre comprava um goleiro”, diz Thiaguinho

Em um trecho da conversa que vazou pelo Whattasup, Thiaguinho revela como aconteceu o esquema. “Após falar com o Rodrigo Jesus eu pedi para chamar o Flay, porque o bicheiro compra um goleiro, sempre ele faz isso, ele mandou oferecer o mesmo valor de R$ 5 mil ao Flay que disse que não faria porque o empresário dele estaria no jogo e porque ele não joga para perder”, disse neste trecho. Quando ele afirma que o bicheiro sempre compra um goleiro, o atleta aponta para um esquema maior que pode estar acontecendo no futebol brasileiro. Esquema, que sempre houve desconfiança, mas nunca havia um indício tão forte quanto este.

Lateral Raul disse que Thiaguinho sempre apostava e jogava

Em outro trecho, Thiaguinho diz “o Marcelinho me chamou de mal caráter e disse que não sou homem. Estou aqui para as consequências deste ato. Peço desculpas aos atletas e a diretoria.” Ainda no grupo dos jogadores do Rio Branco, o lateral Raul disse que o colega não fez isso na inocência. “Thiaguinho, quem julga é Deus meu irmão, e você é um cara que aposta sempre e joga. Com toda certeza sua ligação não foi na inocência. Ainda mais se tratando de dinheiro”, disse o lateral no grupo de whattsapp.

Agora Paraná fala com exclusividade com Thiaguinho

Em entrevista exclusiva ao Agora Paraná, Thiaguinho admite que intermediou a conversa entre o bicheiro e os jogadores. “O bicheiro me procurou para o fazer isso e pediu para eu ligar do meu número para o Rodrigo Jesus. Eu liguei e fui falando a proposta de acordo com o que o bicheiro me passava. Eles estão alegando que o 7x1 foi comprado, mas isso não aconteceu.  Eu fui eleito o melhor lateral esquerdo da competição, eu não queria me vender.

Thiaguinho diz que bicheiro procurou outros jogadores do paranaense

Eu não posso falar o nome dele, pois isso pode dar bronca para o meu lado. Eles já procurou outros jogadores também. Tenho certeza disso. Ele já procurou jogadores de outro clube. Ele me procurou eu disse que não faria e também não estava jogando, daí eu procurei o Rodrigo Jesus.

O presidente do Rio Branco, Leandro informou que o caso foi descoberto no jogo contra o Londrina, mas existe a suspeita de que a manipulação de resultados também poderia ter acontecido no jogo contra o Atlético Paranaense, em que o Rio Branco foi derrotado por 7x1, duas semanas depois de ter vencido o Furacão por pênaltis na mesma Arena da Baixada quando foi para a final da primeira fase do paranaense contra o Coritiba.

Goleada do Furacão sobre o Rio Branco quebrou a banca

Embora não haja comprovação de que a vitória do Furacão sobre o Rio Branco por 7x1 tenha sido manipulada. Existem vários indícios que levam a esta desconfiança. O Atlético-PR vinha de um histórico de empates e vitórias magras em casa. E há menos de duas semanas havia perdido para o próprio Rio Branco nos pênaltis.  Por isso, a vitória pelo mesmo placar que a Alemanha derrotou o Brasil na Copa do Mundo quebrou a banca, pois não havia histórico para esta vitória. Os jornalistas esportivos que assistiram o jogo estranharam não só a derrota, mas as falhas absurdos que levaram o Rio Branco a levar esta goleada, inclusive com falhas incomuns do goleiro.  

A Federação Paranaense de Futebol ficou sabendo do caso apenas pela imprensa, mas ainda não recebeu nenhuma denúncia formal. A Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) vai abrir uma investigação já nesta segunda-feira (26) com base nas informações da imprensa.  O Tribunal não tem nenhum elemento a mais do que a entrevista do dirigente. Em primeira mão, o Agora Paraná divulga a troca de conversa de jogadores  pelas redes sociais, conversas confirmadas pelo próprio Thiaguinho. Esses documentos podem ser utilizados também como provas na investigação.

Levy Fidelix representa o perfil do novo eleitorado brasileiro

O pré-candidato a presidência da República Levy Fidelix (PRTB) representa o novo perfil do eleitorado brasileiro. Levy representa a família brasileira e seus posicionamentos firmes no combate a corrupção o tornou um dos principais nomes na corrida eleitoral em 2018. 

Ele se notabilizou no cenário de majoritárias no país quando calou Luciana Genro em debate histórico. No Paraná, a estrutura comandada no partido pelo presidente estadual Geonísio Marinho deve dobrar ou até triplicar a votação de Levy no estado. A direção estadual formou uma chapa completa para deputado estadual e federal e avalia a possibilidade de candidatura própria o que aumentaria a plataforma para a candidatura majoritária nacional do partido oferecendo amplo palanque a Levy Fidelix. 

Sobre Levy

José Levy Fidelix da Cruz nasceu no interior de Minas Gerais, no município de Mutum, em 27 de dezembro de 1951, filho de um comerciante e uma educadora. Se mudou para o Rio de Janeiro, na época ainda capital do país, para cursar comunicação social na Universidade Federal Fluminense. Apesar de não ter se formado, tornou-se jornalista e publicitário, tendo fundado a Staff Publicidade com 24 anos, e trabalhado em agências como a Art&Som e a Vogue Publicidade, assim como nos jornais Correio da Manhã e Última Hora, e revistas como O Poder, além do setor público.