Oswaldo Eustáquio
Exclusivo: Presidente estadual do PV está em Cascavel para discutir pré-candidatura de Carlos Moraes ao governo

O presidente estadal do Partido Verde, Chico do PV e a coordenadora do partido na região oeste, Marlise da Cruz estão reunidos na noite desta quarta-feira (21) no restaurante Armazém em Cascavel com o jornalista Carlos Moraes para discutir o lançamento da pré-candidatura do apresentador ao governo do estado do Paraná. 

O encontro acontece menos de 24 horas depois da reportagem do Agora Paraná anunciar em primeira mão a pre-candidatura do jornalistas que se notabilizou no Brasil a partir de Cascavel. Moraes é jornalista, formado em Marketing e pós-graduado em Gestão Pública e Gerenciamento de Cidades. Foi suplente de deputado estadual quando fez quase 20 mil votos, a maior parte deles na região oeste do estado. Ganhou destaque no cenário político na capital quando foi candidato a prefeito de Curitba em 2012 debatendo com Ratinho Júnior, Luciano Ducci e Rafael Greca. 

Saia Justa

A pré-candidatura ao governo do estado de Carlos Moraes coloca o prefeito de Cascavel Leonaldo Paranhos em uma saia justa. Paranhos vai apoiar Ratinho ou Moraes? O que vai prevalecer. A fidelidade canina entre Moraes e Paranhos ou a fidelidade político-partidária do compromisso tácito entre Paranhos e Ratinho. 

O trio está recrutando jovens aspirantes a política paranaense que tenham interesse em fazer parte do chapão do PV. Homens e mulheres com aspiração de mudar o país no combate a corrupção são bem-vindos ao partido que é representado na Câmara Federal pela deputada Leandre, conhecida por sua força na ação social em todo o estado do Paraná. 

Garota de Programa é assassinada por marinheiro filipino no Porto de Paranaguá

Um marinheiro filipino foi preso a bordo do navio Star Lygra, de bandeira de I. Marshal, a 1h29 da madrugada desta quarta-feira no Porto de Paranaguá. Ele é o principal suspeito de ter assassinado a garota de programa Claudia Helena Gaspar, de 38 anos. Ela trabalhava em uma boate próxima ao Porto de Paranaguá, famosa por atender marinheiros estrangeiros.

A bordo do navio, na cabine do tripulante preso, o Grupo de Diligências Especiais da Polícia Civil encontrou, dentro de uma mala, as roupas usadas por ele no momento assassinato Claudia Helena. A chegada do filipino na delegacia foi tumultuada. Amigas e colegas de trabalho da vítima estavam em frente à delegacia.

A morte de Claudia foi trágica, o marinheiro filipino quebrou um garrafa de vidro e deflagrou vários golpes no corpo dela. E finalizou com um pedra que servia para segurar a porta.  Mais uma morte que chocou Paranaguá, cidade portuária no litoral paranaense. 

Havia sangue espalhado por toda a casa. AS IMAGENS DO LOCAL DO CRIME SÃO FORTES e chocantes. Impublicáveis. Claudia deixou doze filhos e suas amigas e colegas de trabalham estão indignadas e clamam por justiça. Elas estavam com medo que o navio saísse do Porto em direção a outro país antes do assassino ser preso.

Claudia e o filipino foram levados até a casa dela no bairro Rocio, por um taxista. O último, além do assassino de ver ela com vida. Perto das quatro da manhã uma amiga que trabalhava com Claudia disse ter ouvido barulhos diferentes. Ela tentou  chamar por ela, mas sem sucesso.

Um detalhe chama muito atenção nesse crime brutal: a paixão que Claudia Helena tinha pelo povo filipino./ E ironicamente, ela teve a sua vida ceifada justamente por um homem deste país. Esse, inclusive, como já foi dito pela garçonete da boate onde ela estava, não quis ficar com mais ninguém. Fez questão de ficar com ela.

 O navio Star Lygra permanece atracado no berço 201 do Porto de Paranaguá e não pode sair do Brasil enquanto o assassinato não for esclarecido. A morte de Claudia Helena é uma tragédia que aumenta a estatística absurda de que a cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil.

Outro Lado

A reportagem do Agora Paraná entrou em contato com a defesa o advogado de defesa do marinheiro, que preferiu não comentar o assunto antes do resultado dos exames periciais que serão realizados nesta terça-feira (21). Fontes ligadas ao Agora Paraná, disseram que o marinheiro nega o crime e disse que a casa foi invadida por duas pessoas que agrediram ele e a garota de programa.  

 

Carlos Moraes é pré-candidato ao governo do estado pelo PV

O jornalista Carlos Moraes é pré-candidato ao governo do estado do Paraná nas eleições 2018. A informação  que está sendo ventilada nos bastidores da política cascavelense nos últimos dias, foi confirmada pelo presidente estadual do partido, Chico do PV. 

Carlos Roberto de Moraes, de 58 anos, dedicou 40 deles a Comunicação e ao jornalismo passando pelas principais emissoras  de televisão do Brasil como Globo, SBT, Bandeirantes (Tarobá) CNT, Rede TV. Atualmente, apresenta dois programas na CATVE, emissora de Cascavel. Moraes foi candidato a prefeito de Curitiba em 2012 e em outubro deve concorrer  ao cargo mais cobiçado do estado do Paraná.

EXCLUSIVO: "Lange e Dillenburg autorizaram obra irregular do Morumbi", revela áudio de fiscal

Em depoimento da Comissão de Viação, Obras Públicas e Urbanismo da Câmara de Vereadores de Cascavel, os engenheiros Marcos Roberto de Almeida e UlyssesAfonso Zaros, fiscais responsáveis pela obra do Morumbi, disseram aos vereadores que o vice-prefeito e então secretário de Obras Jorge Lange e o ex-secretário de Planejamento, José Fernando Dillenburg autorizaram a troca irregular de material na obra do Parque do Morumbi. 

Lange e Dillenburg negam que autorizaram, mas defendem explicitamente a troca. Eles alegam que o concreto no lugar de ARMCO, material licitado, vai gerar uma economia aos cofres públicos, no entanto, a Lei 8.666 diz que a utilização de material diferente, seja em quantidade ou qualidade pode ser considerato ato de improbidade adminitrativa sob pena de multa e até seis anos de cadeia. 

O áudio será disponibilizado pelas redes sociais com exclusividade pelo Agora Paraná. O material é público e foi solicitado de forma oficial à Câmara de Cascavel. 

"Cascavel está na contramão do Brasil", diz vice-prefeito

O vice-prefeito de Cascavel Jorge Lange disse em entrevista a Catve na tarde de hoje que Cascavel está na contramão do Brasil. O secretário disse que na questão do Morumbi, eles queriam fazer uma economia de cerca de R$ 200 mil ao erário na obra de cerca de R$ 1,8 milhões referenes aos três bueiros no Morumbi. Pouco antes em uma coletiva de imprensa, Lange disse que a troca irregular do material licitado sem aditivo, não é legal, mas é comum.

A cidade de Cascavel, que tem a quinta maior economia do Paraná, está prestes a virar notícia nacional pelos depoimentos folclóricos. 

"Não é legal, mas é comum",diz vice-prefeito de Cascavel sobre fraude no Morumbi
Reprodução Programa Em OFF, CATVE

O vice-prefeito de Cascavel jorge Lange disse em coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira (19) na Câmara de Vereadores de Cascavel que a troca de material sem devida autorização não é legal, mas é comum que as empresas se adiantem para poder cumprir o prazo. A justificativa foi baseada, segundo Lange, depois de conversas com pessoas que fazem obras públicas e para cumprir os prazos quase nunca uma empresa espera o aditivo ficar pronto quando já existe um entendimento sobre o caso.

A pérola do vice-prefeito de Cascavel foi endoçada pelo ex-secretario de Planejamento de Cascavel, José Fernando Dillenburg. Ele disse aos jornalistas de Cascavel que é errado, mas Cascavel é a única cidade do Brasil que economizar 200 mil é crime e que não consegue entender porque temos a Lava Jato porque em Cascavel está sendo acusado de economizar. A economia foi contestada por um Doutor da Universidade Federal do Paraná que disse que o ARMO STACO tem uma tecnologia agregada. Dillenburg disse que o "pretenso professor falou besteira, referindo-se ao douor da UFPR.

A economia pretendida por Dilenburg vai na contramão da Lei 8.666, que dispõe sobre as licitações que em seu artigo 96 diz com clareza que a substituição seja em quantidade ou qualidade de materiais licitados caracteriza crime contra o patrimônia com pena de até seis anos de cadeia. A troca até poderia ter sido feita, também de acorco com a Lei 8.666, desde que houvesse um aditivo de supressão, o que não ocorreu. Este aditivo chegou a ser solicitado pela empresa Contersolo ao então secretário de obras, Jorge Lange, no entanto, como já foi mostrado pelo Agora Paraná, a justificativa foi fraudulenta. A empresa mentiu dizendo que o ARMCO só chegaria em Cascavel em 60 dias, no entanto, documentos mostrados em primeira mão pelo Agora Paraná mostram que a empresa emitiu um orçamento informando que em até 30 dias o material chegaria na cidade. 

Insatisfeitos, secretários de Paranhos comparam a atual gestão com o governo Lisias Tomé

Dois secretários do governo municipal de Cascavel disseram a reportagem do Agora Paraná que a impetuosidade da chefia de gabinete de Paranhos pode esvaziar o governo. Ao menos esses dois já chegaram a limpar as gavetas e contaram que tem mais dois que estão com o mesmo pensamento. A saída de um deles já foi adiantada pelo blog do Luizinho Nardelli, da Catve. Uma importante médica da Secretaria disse que não aguenta mais a pressão do Paço.  A insatisfação desses quatro secretários que avaliam deixar o governo, somado a exoneração de Lange, Berté e Dillenburg trazem o governo uma crise política sem igual. Uma força tarefa está sendo realizada para manter os secretários insatisfeitos. Para que isso aconteça é necessário que haja habilidade política e reconhecimento com aqueles que venceram a eleição com o prefeito. A principal queixa é que Paranhos tem dado mais espaço para os inimigos do que para os aliados. 

Há vagas

O esvaziamento do governo em meio a crise iniciada pela investigação do Ministério Público; no caso do Morumbi e as vésperas da articulação de um CPI, fazem os secretários e vereadores lembrarem do governo Lisias Tomé. A recusa de Lauri Silva para assumir a chefia de gabinete de Paranhos remete a esse tempo.

Dessa forma. Mandem os currículos, pois há vagas para secretários. 

Vereador vai pedir abertura de CPI do Eco Park nesta quarta

O vereador Serginho Ribeiro (PPL) tem reunião agendada para esta quarta-feira (14) com o presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel, Gugu Bueno para tratar sobre a CPI DO Eco Park. Em entrevista exclusiva ao Agora Paraná, Serginho garantiu que já tem a sinalização das sete assinaturas para abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito. 

O vereador disse que o dinheiro público não pode ir para o ralo  e a Câmara de Vereadores de Cascavel não ode se furtar neste caso."Nós queremos investigar a fundo os envolvidos . Queremos saber se algum diretor, engenheiro ou secretário se furtou de fiscalizar a obra.", disse. 

Segundo ele, a CPI tem força para investigar o que for preciso, inclusive para afastar da função pública aqueles que estiverm envolvidos no maior escândo de de fraude do governo Paranhos.

O Ministério Público do Paraná também abriu procedimento para investigar o caso que derrubou três secretários da prefeitura. A empresa Contersolo, responsável por um contrado do PDI/BID de R$ 16,9 milhões utilizou material inferior na construção do bueiro da Rua Europa, no bairro Morumbi. Eles utilizaram concreto, no lugar de ARMCO STACO, material licitado.

R$ 1,8 milhão

O material mais barato colocado na obra fez com que a empresa não precisasse desembolsar R$ 600 mil. Como são três bueiros, a fraude poderia chegar a R$ 1,8 milhão, se não fosse a intervenção do secretário do meio Ambiente, Juarez Berté que não assinou a autorização da troca.

Berté vai contar tudo

Mesmo servindo como um guardião do dinheiro público, a recompensa de Berté foi a exoneração pela imprensa. Ele vai depor nesta quinta-feira (15) na Câmara dos Vereadores e prometeu contar tudo. 

Vereador vai pedir abertura de CPI do Eco Park nesta quarta

O vereador Serginho Ribeiro (PPL) tem reunião agendada para esta quarta-feira (14) com o presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel, Gugu Bueno para tratar sobre a CPI DO Eco Park. Em entrevista exclusiva ao Agora Paraná, Serginho garantiu que já tem a sinalização das sete assinaturas para abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito. 

O vereador disse que o dinheiro público não pode ir para o ralo  e a Câmara de Vereadores de Cascavel não ode se furtar neste caso."Nós queremos investigar a fundo os envolvidos . Queremos saber se algum diretor, engenheiro ou secretário se furtou de fiscalizar a obra.", disse. 

Segundo ele, a CPI tem força para investigar o que for preciso, inclusive para afastar da função pública aqueles que estiverm envolvidos no maior escândo de de fraude do governo Paranhos.

O Ministério Público do Paraná também abriu procedimento para investigar o caso que derrubou três secretários da prefeitura. A empresa Contersolo, responsável por um contrado do PDI/BID de R$ 16,9 milhões utilizou material inferior na construção do bueiro da Rua Europa, no bairro Morumbi. Eles utilizaram concreto, no lugar de ARMCO STACO, material licitado.

R$ 1,8 milhão

O material mais barato colocado na obra fez com que a empresa não precisasse desembolsar R$ 600 mil. Como são três bueiros, a fraude poderia chegar a R$ 1,8 milhão, se não fosse a intervenção do secretário do meio Ambiente, Juarez Berté que não assinou a autorização da troca.

Berté vai contar tudo

Mesmo servindo como um guardião do dinheiro público, a recompensa de Berté foi a exoneração pela imprensa. Ele vai depor nesta quinta-feira (15) na Câmara dos Vereadores e prometeu contar tudo. 

“Governo Paranhos está com Hemorragia”, diz Cantini

“Governo Paranhos está com Hemorragia”, diz Cantini

O comentarista político da rádio CBN de Cascavel Valdomiro Cantini disse em seu comentário na manhã desta segunda-feira (12) que o governo Paranhos está com hemorragia. A frase foi dita porque Paranhos exonerou o secretário do Meio Ambiente Juarez Berté para que o governo não ficasse sangrando. A estratégia foi errada, segundo Cantini, que acompanha a política cascavelense há anos.

Ele comparou esta atitude de Paranhos com a demissão de um médico por Edgar Bueno quando ambos perderam a eleição para Lisias Tomé culminando em desgaste descomunal criando um caos político na cidade.

Veja o comentário na íntegra

https://www.cbncascavel.com.br/prefeito-quem-pariu-mateus-que-o-embale/