Oswaldo Eustáquio
​​​​​​​Construção irregular foi autorizada por Secretários de Obras e Planejamento

Documentos obtidos com exclusividade pela reportagem do Agora Paraná revelam que a obra irregular na construção do Parque Linear do Morumbi que trouxe mais de R$ 500 mil de prejuízo aos cofres públicos, foi autorizada pelo secretário de Obras de Cascavel, Jorge Lange e pelo secretário de Planejamento José Fernando Dillemburg de forma irregular.

O contrato 073/2017 prevê que a utilização de tubos de aço para a construção, no entanto, a primeira fase da obra foi concluída com concreto, material três vezes mais barato que o previsto.  Isso veio a tona após o secretário de Meio Ambiente, Juarez Berté, pasta responsável pela ordenação da obra não compactuar com a fraude e travar a obra.

Com exclusividade a reportagem teve acesso a documentos do processo que revelam que os fiscais atestaram a obra. “Material aplicado, medição de acordo com o projeto licitado”, informa o documento. Diferente do que foi atestado, imagens obtidas pelo Agora Paraná revelam que o material aplicado é diferente e muito mais barato que o licitado e atestado.

O fiscal da obra Ulysses Afonso Zaror disse que apenas cumpriu ordens dos secretários Lange e Dillemburg e que pode comprovar isso com documentos. “A ordem para executar a obra com este material partiu dos secretários, tudo documento, apenas cumpro ordens”, disse. A empresa Contersolo também confirmou que a execução da obra foi autorizada pelo poder público da forma que foi executada, mas seus representantes preferiram não comentar o caso.  Os secretários José Fernando Dillemburg e Jorge Lange não atenderam as ligações da reportagem.

Especialista em direito Público, o advogado Maurício Leone disse que diante da comprovação explícita do dano ao erário todos os responsáveis pelo mau uso do dinheiro público podem ser enquadrados nos crime de improbidade administrativa sob a pena de multa, perda da função pública e devolução do dinheiro ao erário.

Racha

Fontes ligadas a administração pública de Cascavel informaram que devido ao decreto de corrupção zero feito pelo prefeito Paranhos e a intolerância do prefeito a atos de corrupção, um dos secretários deve cair nos próximos dias, ou os dois. A pré-candidatura a deputado estadual do secretário de obras Jorge Lange em meio a uma suspeição em obra milionária do BID balança o primeiro escalão do governo.