Oswaldo Eustáquio
Insatisfeitos, secretários de Paranhos comparam a atual gestão com o governo Lisias Tomé

Dois secretários do governo municipal de Cascavel disseram a reportagem do Agora Paraná que a impetuosidade da chefia de gabinete de Paranhos pode esvaziar o governo. Ao menos esses dois já chegaram a limpar as gavetas e contaram que tem mais dois que estão com o mesmo pensamento. A saída de um deles já foi adiantada pelo blog do Luizinho Nardelli, da Catve. Uma importante médica da Secretaria disse que não aguenta mais a pressão do Paço.  A insatisfação desses quatro secretários que avaliam deixar o governo, somado a exoneração de Lange, Berté e Dillenburg trazem o governo uma crise política sem igual. Uma força tarefa está sendo realizada para manter os secretários insatisfeitos. Para que isso aconteça é necessário que haja habilidade política e reconhecimento com aqueles que venceram a eleição com o prefeito. A principal queixa é que Paranhos tem dado mais espaço para os inimigos do que para os aliados. 

Há vagas

O esvaziamento do governo em meio a crise iniciada pela investigação do Ministério Público; no caso do Morumbi e as vésperas da articulação de um CPI, fazem os secretários e vereadores lembrarem do governo Lisias Tomé. A recusa de Lauri Silva para assumir a chefia de gabinete de Paranhos remete a esse tempo.

Dessa forma. Mandem os currículos, pois há vagas para secretários.