Oswaldo Eustáquio
Porto de Paranaguá foi interditado por grave risco aos trabalhadores
ASSCOM APPA

O corredor de exportação do Porto de Paranaguá está interditado desde a tarde desta quinta-feira (17) por risco grave e iminente aos trabalhadadores. A decisão foi tomada pela própria APPA após uma vistoria realizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O Eixo Comum do Corredor de Exportação é responsável por 35% de toda carga que passa anualmente pelo Porto de Paranaguá.

A equipe de auditores do Ministério do Trabalho e Emprego ficaram horrorizadas com o grave risco ao trabalhador, sobretudo no acesso as correias do Porto de Paranaguá, que de acordo com o flagrante dado pelos auditores permanecem em operação enquanto os trabalhadores estão trafegando pelo local. Não havia controle de acesso adequada para saber quais trabalhadores entravam ou saiam da área de risco, tampouco barreiras fiscais ( portões) adequados as normas do MTE.

 A paralização afetou diretamente 11 terminais interligados diretamente  ao Porto e centenas de trabalhadores estão de braços cruzados. Esses terminais são responsáveis por atender milhares de empresas que utilizam o Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá para escoar a safra agrícola do estado do Paraná e parte do Mato Grosso do Sul. 

A paralização foi realizada por iniciativa do superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Lourenço Fregonese, por meio da ordem de serviço 073/18 para tentar sanar os problemas para evitar uma bloquieio geral das operações por determinação do Ministério do Trabalho e Emprego que já informou o Porto que devido aos graves riscos ao trabalhador pode tomar medidas mais drásticas. A informação sobre a interdição não foi divulgada pelo Porto de Paranaguá. A reportagem do Agora Paraná teve acesso a ordem de serviço de interdição e entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da APPA que confimou a inforção e informou que na manhã desta sexta-feira, auditores do MPT estão fazendo inspeção nas melhorias feitas pela APPA para avaliar se liberam as operações no Corredor de Exportação no Porto de Paranaguá.