RMC

Ano novo começa com redução de preço da passagem de ônibus em Araucária

(Foto: Divulgação)

A extinção da Companhia Municipal de Transporte Coletivo CMTC) já começa a render frutos em Araucária. Graças a economia gerada com a iniciativa, a Prefeitura divulgou uma ótima notícia para os moradores da cidade: a redução da tarifa de ônibus, que passará dos atuais R$4,25 para R$2,90 a partir do dia 1º de janeiro de 2018, conforme anunciou o prefeito Hissam Hussein Dehaini, nesta terça-feira (19).

“Isso nada mais é do que resultado da economia feita com a extinção da CMTC. Estamos apenas repassando para o próprio sistema e para a população de Araucária”, ressalta o prefeito.

O novo valor vale para as viagens nos ônibus do Transporte Integrado de Araucária – TRIAR; o que por consequência, permitirá a integração com as linhas metropolitanas gerenciadas pela Comec - como Araucária-Portão, Araucária-Pinheirinho, Araucária-Campo Largo, Angélica-Pinheirinho, Curitiba/Araucária, por meio dos Terminais Central e Angélica. Ou seja, com os R$2,90 é possível ir para Curitiba, desde que o acesso seja feito pelos ônibus do TRIAR ou de um dos terminais de Araucária com pagamento pelo cartão do Triar ou em dinheiro.

Ao longo deste ano, Araucária fez a revisão de diversas questões referentes ao transporte coletivo na cidade visando otimizar os serviços e cortar gastos desnecessários. Com isso, além de fazer a previsão para reduzir o preço da passagem, foi possível implantar algumas gratuidades e benefícios para a população.

Gratuidades
A tarifa domingueira é uma realidade na cidade desde setembro deste ano. Com ela, o transporte é gratuito em todos os domingos e a catraca é liberada mediante apresentação do Cartão de Transporte do Triar.

Outro benefício disponível aos araucarienses atende a alunos da educação infantil, ensino fundamental e ensino médio de escolas públicas que estudam no município. A isenção integral da tarifa, chamada passe livre estudantil - Educard, pode ser concedida mediante comprovação de dados da unidade escolar a qual o aluno frequenta. O objetivo do passe livre é facilitar e incentivar os alunos a um maior comparecimento na unidade escolar, além de trazer economia para as famílias.

Histórico financeiro e previsão futura
Em 2015 a Prefeitura precisou enviar à CMTC R$43,5 milhões para complementar os gastos da companhia, uma transação financeira chamado de “interferência”. Em 2016, o repasse foi de R$39,5 milhões. Em 2017, com a revisão e extinção de contratos, o valor da interferência caiu para R$23,5 milhões e a estimativa é de que sem a companhia, com o gerenciamento sendo realizado por equipe própria da Prefeitura, em 2018, os gastos de aporte para o transporte público caiam para aproximadamente R$18 milhões – isso já com a passagem a R$2,90.