Política

Com 13º do Bolsa Família, Bolsonaro atinge o coração da esquerda

O anúncio da concessão do pagamento do 13º para os beneficiários do Programa Bolsa Família atingiu o coração da esquerda brasileira e colocou por terra a versão dos políticos petistas que diziam que Bolsonaro acabaria com o programa.

Ao contrário, o presidente manteve e ampliou o projeto, cumprindo uma promessa de campanha. Este política pública vai atingir principalmente a região do nordeste, local onde Bolsonaro foi derrotado em algumas cidades. Este projeto terá um impacto de R$ 2,6 bilhões aos cofres públicos. No nordeste, Bolsonaro teve 30% dos votos válidos no segundo turno contra 70% de Haddad. Ou seja, Bolsonaro desmente mais uma vez a esquerda brasileira e prova que seu governo é para todos, sobretudo os menos favorecidos.

A concessão do 13º salário de Bolsonaro vai atingir diretamente 14,1 milhões de famílias no Brasil em situação de pobreza ou extrema-pobreza. O valor médio recebido por cada família é de R$ 186.

Outra medida importante do governo Bolsonaro será a implantação de milhares de Cisternas no semiárido nordestino para aldeias indígenas e comunidades quilombolas. A iniciativa é da Secretária Nacional da igualdade Racial, Sandra Terena e da Ministra da Mulher da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.O anúncio foi feito por Sandra em Washington, no Estados Unidos no início deste mês. 

Sandra Terena anuncia projeto que vai levar água ao semiárido brasileiro

 

Nesta sexta-feira (12), o governo Bolsonaro completa 100 dias provando para o Brasil e para as falácias da esquerda que este é um governo de inclusão. A concessão do 13º salário ao Bolsa Família e a ampliação do projeto de cisternas que vai levar água potável ao semiárido nordestino são provas irrefutáveis que o governo Bolsonaro tem olhado para as pessoas mais necessitadas já no início do governo, que já cumpriu mais promessas do que os governos Dilma e Temer no mesmo período.