Geral

Deputado Márcio Nunes concede Cidadania Honorária ao Professor Oriovisto Guimarães

Márcio Nunes com o Professor Oriovisto Guimarães e o governador e o vice, Ratinho Junior e Darci Piana (Foto: Divulgação)

O senador eleito e diretor-presidente do Grupo Positivo, Oriovisto Guimarães, será reconhecido como Cidadão Honorário do Paraná. A homenagem está prevista em um projeto de lei do deputado estadual Márcio Nunes,  lider da bancada do PSD na Assembleia Legislativa.

"Este título é o reconhecimento a uma personalidade que é exemplo de empreendedorismo em nosso Estado", afirmou Márcio Nunes. "O Professor Oriovisto Guimarães nasceu em 1945, na cidade de Batatais (SP) e, quando tinha apenas três anos de idade, sua família se mudou para o Paraná", lembra o deputado.

Senador eleito com mais de 2,9 milhões de votos, Oriovisto é diretor-presidente do Grupo Positivo, desde a sua fundação, e foi também o primeiro Reitor da Universidade Positivo. Economista e professor de matemática, foi líder do grupo de professores paranaenses que, em 1972, criou e sistematizou uma metodologia própria de ensino, hoje presente na sala de aula de quase um milhão de alunos no Brasil e exterior. 

Participou ativamente de um grupo de empreendedores no campo do saber que, além de terem criado um conteúdo pedagógico único, transformaram a metodologia em livros e a usaram para levar conhecimento a milhares de alunos.

Contexto
Ao lado de seus companheiros, Oriovisto fundou em 1972, o Curso Positivo, que ao longo dos anos conseguiu transformar uma pequena sala de aula na maior corporação de educação do país. Hoje, o Grupo Positivo conta com mais de quatro mil colaboradores e atua no Brasil e Estados Unidos, além de países da Ásia, América do Sul, África, Europa e Oriente Médio.

O grupo reúne empresas líderes nacionais nos três segmentos em que atua - educacional, gráfico-editorial e informática. Na educacional, os produtos do Grupo Positivo chegam diretamente à sala de aula de milhões de alunos, da educação infantil ao ensino superior. Conta com escolas próprias e uma universidade, com 14.000 alunos, além de uma rede de escolas públicas que adotam seus sistemas de ensino.

O Grupo Positivo, também, mantém cinco portais de internet adotados por instituições públicas e particulares, desde a educação infantil até o ensino superior. A editora do grupo possui em seu portfólio o Dicionário Aurélio, entre centenas de outras obras.

O Positivo conta ainda com a maior gráfica da América Latina e vem consolidando sua posição na área tecnológica com a Positivo Informática, empresa líder na venda de computadores, além de ser referência em tecnologia educacional com produtos exclusivos, como as mesas educacionais.

É autor do livro "Você é o Dono da Escola" (1990) e de várias coleções de livros didáticos de matemática, além da tradução de Como Sair da Crise, de Luiz Pazos (l993). Colaborador assíduo de jornais e revistas paranaenses e nacionais. Foi o responsável pela aquisição da biblioteca do diplomata, ministro e acadêmico Roberto Campos, hoje parte do acervo da Biblioteca da Universidade Positivo.

Exerceu o cargo de conselheiro de Educação do Paraná em três gestões. De 2001 a 2004 foi representante no Paraná do Programa das Escolas Associadas à UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação. Tomou posse na cadeira n.º 6 da Academia Paranaense de Letras no dia 8 de maio de 2006, no Teatro Positivo, saudado pelo Acadêmico René Ariel Dotti. 

Trajetória
No início dos anos 2000 o Grupo Positivo tinha sua gestão divida entre os sócios originais do curso Positivo – pré-vestibular derivado do curso Barddal, então o mais popular de Curitiba. Antigo professor de matemática do cursinho, Oriovisto decidiu naquele estágio de sua vida empresarial, que se ocuparia da administração do centro universitário, o Unicenp, uma evolução das Faculdades Positivo que acabara de se instalar em um moderno e extenso campus no Campo Comprido, no limite de Curitiba e Araucária.

O campus do Unicenp era – e ainda é, hoje como Universidade Positivo – grandioso aos olhos de quem entrasse por seus portões. Além dos blocos educacionais, chamavam a atenção a biblioteca, o prédio da pós-graduação, a capela ecumênica e, claro, a reitoria, ocupada pelo reitor Oriovisto Guimarães. 

Logo ele inauguraria no campus um auditório de pouco mais de 700 lugares. Em seguida, aquele que veio a ser o maior teatro do Paraná, o Teatro Positivo, com mais de 2 mil lugares. Em março de 2012, se afastou da gestão do Positivo, deixando a missão para seus sócios e filhos.

"Saber, ética, trabalho, progresso" é a inscrição que foi gravada no piso no prédio da pós-graduação da universidade de Oriovisto. Não são palavras escolhidas a esmo. Elas representam os valores institucionais da universidade e sintetizam a forma como o novo senador eleito pelo Paraná enxerga a trajetória do homem. 

O saber explica a natureza e a vida; a ética, o único caminho para se alcançar a felicidade; com o trabalho o homem transforma a natureza e a si mesmo; o progresso é a civilização melhorada, da qual resultam acúmulo de bens materiais e crescimento intelectual – é o que confere à vida, na visão de Oriovisto Guimarães, o seu maior significado.

Márcio Nunes lembra que, mesmo aos 72 anos e com muito ânimo para trabalhar, Oriovisto coloca sua capacidade e experiência profissional e empresarial à disposição da sociedade para a construção de um novo país. "Eleito para representar o  Paraná no Senado, vai representar bem os legítimos interesses paranaenses e ajudar o Brasil a ser um pais melhor para todos, com honestidade, competência e muito trabalho", concluiu o deputado.