Política

Governador eleito, Ratinho Junior terá maioria na Assembleia Legislativa do Paraná

Pelo menos 28 dos 54 deputados estaduais integram base de apoio do governador; número deve aumentar e pode chegar ou ultrapassar um terço dos parlamentares.
(Foto: Divulgação)

Eleito governador do Paraná no primeiro turno, com 60% dos votos válidos, Ratinho Junior (PSD) vai começar o mandato em 2019 com maioria na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Faltando cerca de dois meses para assumir o cargo, pelo menos 28 dos 54 deputados integram a base de apoio do governador, que tem mantido contato com os parlamentares eleitos, independentemente do partido.

O número é suficiente para aprovar projetos que demandam maioria simples. Porém, a tendência é a de que a base possa chegar ou ultrapassar um terço dos parlamentares - ou seja, 36 ou mais deputados.

Dos nove partidos que fizeram parte da coligação de Ratinho Junior, sete elegeram 19 parlamentares no total. O Partido Social Liberal (PSL), que terá a maior bancada com 8 deputados, confirmou apoio ao governador eleito.

O presidente do partido é o deputado estadual eleito Delegado Francischini, que fez parte da campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Ratinho Junior apoiou publicamente o candidato do PSL no segundo turno e havia recebido apoio dele no primeiro turno.

Além desses, Plauto Miró (DEM) disse que fará parte da base. O partido dele integrou a coligação da governadora Cida Borghetti (PP). Da base dela foram eleitos 17 deputados de sete legendas diferentes.

Coligações dos três mais votados para governador:

Ratinho Junior - PSD, PSC, PV, PR, PRB, PHS, PPS, PODE e Avante;

Cida Borghetti - PP, PTB, DEM, PMN, PMB, PSB, PSDB e Pros;

João Arruda - MDB, PDT, SDD e PC do B.

Como Ratinho Junior foi secretário no governo Beto Richa (PSDB), do qual Cida era vice, há caminho aberto para o diálogo entre ele e partidos como o PSB, que elegeu cinco deputados e tem a terceira maior bancada.

Oficialmente, a legenda não confirma o apoio, mas afirma que há tratativas em andamento.

Do PSDB e do PP, que elegeram três deputados cada, também devem sair outros integrantes da base aliada de Ratinho Junior. As legendas, assim como o PSD, atualmente fazem parte da situação na Alep.

Na oposição, a maior bancada será a do PT, que teve quatro deputados estaduais eleitos.

Outros integrantes da oposição tendem a sair do PDT e do MDB, que elegeram dois parlamentares cada, e que fizeram parte da coligação de João Arruda (MDB) - terceiro colocado na disputa ao governo.

Goura, eleito pelo PDT, por exemplo, confirmou ao G1 que terá postura neutra, a depender do que estiver sendo discutido e votado. Ele também disse que não há um direcionamento do partido nesse sentido.

Fonte: G1