Geral

Greca anuncia pagamento de dívidas em atraso para 800 fornecedores da Prefeitura

(Foto: SMCS)

A Prefeitura de Curitiba irá quitar a partir da próxima semana as dívidas em atraso com cerca de 800 fornecedores que têm créditos a receber inferiores a R$ 300 mil. O volume financeiro a ser desembolsado é de aproximadamente R$ 26 milhões.

O anúncio foi feito pelo prefeito Rafael Greca, que acompanhado do vice-prefeito e secretário de Obras Públicas, Eduardo Pimentel, visitou a Câmara Municipal nesta quarta-feira (2/8). “Na segunda-feira começa o pagamento da maldita dívida herdada”, disse o prefeito.

Posteriormente, será regulamentado o leilão de dívidas para os credores de dívidas acima de R$ 300 mil.

Greca também destaca que a quitação dos débitos foi viabilizada graças à aprovação do Plano de Recuperação de Curitiba, que além de estabelecer os critérios para o pagamento do débitos deu condições de gerenciamento sustentável das finanças municipais.

“O Plano de Recuperação nos deu a certidão negativa do Tribunal de Contas, que há anos Curitiba não tinha”, afirmou Greca. “Assim vamos avançando e fazendo a cidade funcionar acima das dificuldades.”

O prefeito agradeceu aos vereadores a aprovação do Plano de Recuperação de Curitiba, ocorrida em junho, antes do recesso parlamentar: "O agradecimento é a memória do coração".

Eixos

De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi, o equacionamento das dívidas é mais um exemplo de gestão responsável das contas municipais e de respeito aos contratos firmados.

A dívida total herdada da gestão anterior chega a R$ 1,2 bilhão, dos quais cerca de metade está ligada a fornecedores e a outra metade com a previdência municipal (a qual também está sendo equalizada com ajustes previstos no Plano).

Processo

O pagamento das dívidas está sendo precedido de uma atualização geral de todos os débitos. O município precisou, por exemplo, emitir novos empenhos, num processo de gestão orçamentária necessário para classificar o pagamento no orçamento deste ano.

Entre as dívidas em atraso, havia casos sem empenho e de empenhos como restos a pagar mas sem suporte financeiro para este ano. Ao atualizar os trâmites dentro dos processos administrativos adequados, a secretaria de finanças também checou caso a caso se os serviços ou produtos que geraram a dívida haviam sido efetivamente realizados e entregues.