Geral

Greca negocia com BID e AFD recursos para recuperar áreas degradadas na Caximba

Mutirão da Saúde atende população do Caximba, na regional Tatuquara. -Na imagem, o atendimento oftalmológico na Vila 29 de Outubro (Foto: Cesar Brustolin/SMCS)

O prefeito Rafael Greca está negociando financiamento de R$ 250 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para investir na recuperação de áreas de ocupação irregular e degradadas da Caximba, no extremo sul da capital.

Na semana retrasada uma comissão de técnicos da Prefeitura, liderada pelo presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur, esteve na sede do banco em Brasília, apresentando este e outros projetos estruturantes para a cidade. 

O município também busca recursos para as intervenções urbanísticas e ambientais necessárias na Caximba com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) — o projeto que vem sendo chamado de Bairro Novo da Caximba foi apresentado para análise dos franceses em julho. 

"Foi ao ver a situação indigna da Vila 29 de Outubro [na Caximba] que decidi voltar a administrar Curitiba”, diz Greca. “Depois de anos de abandono, aquela região passou a receber desde o início do ano passado uma série de ações que estão resgatando a dignidade e a cidadania dos moradores. A recuperação integral exige mais — e mais estamos fazendo.”

O prefeito destaca que as ocupações foram crescendo sem nenhum controle ao longo de muitos anos e boa parte da região é área de preservação ambiental, condição que exige cuidados especiais do poder público. “Não se resolve da noite para o dia, não existe passe de mágica para grandes problemas. Mas temos projeto, temos planejamento e acima de tudo temos vontade de recuperar as vilas da Caximba˜, afirmou.


A região vem recebendo atenção especial desde o início da atual gestão. No ano passado foi alvo de uma força tarefa concentrada que deu início a uma série de iniciativas.

Em julho, o município deu um passo fundamental para desenvolver os projetos necessários à recuperação das áreas irregulares, com a entrada em vigor do Decreto 688, que criou o Setor Especial de Habitação de Interesse Social – Regularização Fundiária da Caximba. “Sem regulação legal, o município fica com as mão atadas. Não se pode administrar ao arrepio da lei˜, explica Greca. 

A medida estabelece a regulação legal para ações nas vilas 29 de Outubro, Dantas, Espaço Verde e Primeiro de Setembro.