Geral

Greca reabre a UPA CIC nesta quinta. Unidade pode fazer 450 atendimentos por dia

Unidade de Pronto Atendimento da CIC (Foto: Luiz Costa/SMCS)

Nesta quinta-feira (16/8), às 16h30, o prefeito Rafael Greca e a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, reabrem a UPA CIC. A partir das 19h, a unidade iniciará o atendimento à população.

O funcionamento será 24 horas, com atendimento voltado a casos de urgência e emergência, em que há risco de vida, assim como as demais UPAs da cidade. A UPA CIC tem capacidade para fazer 450 atendimentos por dia.

“Tivemos dificuldade por forças do atraso, mas eu consegui uma sentença favorável. Minhas mãos foram desamarradas. A UPA CIC abre nesta quinta-feira e vai ajudar a melhorar nosso sistema. Ela está ‘nova em folha’ e, com as outras oito UPAs, vai prestar serviço de urgência e emergência”, afirma o prefeito.

Foram investidos R$ 300 mil na reforma da unidade de 1.814 metros quadrados. A UPA CIC reforçará a rede de urgência e emergência no Sul da cidade. Esta é a nona UPA de Curitiba e a primeira que vai funcionar num novo modelo, com gerenciamento realizado por organização social (OS). 

O novo modelo vai trazer uma economia mensal de R$ 408.651,00 aos cofres municipais. O custo mensal da OS será de R$ 1.697.200,00 – 19,5% a menos que no modelo tradicional aplicado na cidade.

Outra vantagem será a celeridade na contração de funcionários, serviços e compra de materiais e insumos, o que permite adequar mais rapidamente a estrutura do serviço à demanda do momento por atendimento. “Por isso, o modelo de gerenciamento via OS é interessante para a urgência e emergência, porque é uma área da saúde em que é necessária a agilidade”, explica a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak. 

INCS

O Instituto Nacional Ciências da Saúde (INCS), OS escolhida para gerenciar a UPA CIC, passou por um extenso processo de qualificação e seleção, no qual foram avaliados critérios técnicos e financeiros. O contrato com a Prefeitura tem duração de um ano, podendo ser prorrogado por até cinco anos.

A OS seguirá critérios e indicadores estabelecidos no contrato de gestão, além de estar submetida a mecanismo já existentes de controles, avaliações e auditorias da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O trabalho do INCS passará também pelo crivo de uma Comissão de Avaliação do Contrato de Gestão, composta por membros da SMS, do Conselho Municipal da Saúde, da Secretaria Municipal de Planejamento e Administração e da Secretaria Municipal de Finanças.

O INCS tem onze anos de atuação na área de gerenciamento de serviços de saúde e atualmente administra duas UPA em São José dos Campos, o setor de diagnóstico da Santa Casa de Sorocaba e um Hospital em Mogi Guaçu, que conta com UTI e pronto-socorro.

Processo de reabertura

A UPA CIC foi fechada, em novembro de 2016, pela gestão anterior, para reforma. Não havia, porém, previsão orçamentária para equipamentos e funcionários, impossibilitando a sua reabertura.

A nova gestão assumiu em janeiro de 2017 e concluiu as reformas, mas precisou buscar uma forma de equacionar os recursos para o custeio mensal da unidade. Foi por este motivo que buscou um modelo de gestão mais econômico, por meio das OSs.

O primeiro passo foi lançar um edital geral de qualificação das OSs e analisar aquelas que cumpriam os pré-requisitos necessários. Uma decisão da Justiça, porém, paralisou este edital, no fim do ano passado. Somente após reverter a liminar, em 24 de janeiro deste ano, a Prefeitura pode retomar o processo, que foi finalizado com a qualificação de oito entidades consideradas aptas para atuarem como OS em Curitiba.

O passo seguinte foi lançar, em 20 de abril, um edital específico de seleção