Política

No Uruguai, Sandra Terena fala sobre direitos de mulheres indígenas e afrodescendentes

A Secretária Nacional da Igualdade Racial do governo Bolsonaro falou também sobre a importância da interação entre as mulheres indígenas na América Latina. O Encontro Regional do Mercosul  teve a participação também da Secretária-adunta da Mulher, Roseane Estrela, conhecida como Rosinha da Adefal

A Secretária Nacional de Políticas para a Promoção de Igualdade Racial, Sandra Terena, e a Secretária Adjunta da Secretaria da Mulher, Roseane Estrela, conhecida como Rosinha da Adefal estiveram em Montevidéu — Uruguai entre os dias 9 e 11 de abril. Elas participaram do Encontro Regional entre representantes de organizações de mulheres Afrodescendentes e Indígenas do Mercosul e de representantes da RMAAM, RAPIM e RAFRO.

Um dos objetivos do encontro foi identificar as barreiras e obstáculos que mulheres indígenas e afrodescendentes enfrentam para ter pleno acesso aos seus direitos. Outro objetivo foi conhecer as percepções de representantes da sociedade civil organizada e de funcionários do Estado a respeito da inclusão e participação de mulheres afrodescendentes e indígenas nas políticas de igualdade de gênero dos Estados do Mercosul.

A Secretária Sandra Terena afirmou que “o evento é importante, porque reúne mulheres de diversos países da América do Sul e possibilita uma discussão aprofundada sobre a situação da mulher indígena e afrodescendente no âmbito do Mercosul. Além disso, favorece o intercâmbio sobre a realidade dessas mulheres em seus países”.

Nessa quarta-feira (10), os participantes assistiram a uma apresentação sobre a mulher indígena e afrodescendente e, logo após, foram divididos em grupos de trabalho para apontar as barreiras que esses dois grupos enfrentam. Os trabalhos foram apresentados na manhã desta quinta-feira (11).

Caminho Certo

A intenção do Encontro também foi formular recomendações e propostas para incorporar a perspectiva étnico-racial nas políticas de igualdade de gênero do Mercosul. Terena observou que “essa interação nos permite ver que o Brasil está no caminho certo”. Também relatou que houve reivindicações “sobre o censo da população afrodescendente e sobre as mulheres indígenas; também por terem a oportunidade de ocupar cargos de direção em seus países — pontos esses que já são uma realidade no Brasil”.

Representatividade

Uma senhora indígena da Argentina discursou sobre sua alegria em ver que uma representante do Estado brasileiro é indígena – a Secretária Sandra Terena. A senhora falou sobre seu desejo de que, no próximo encontro, cada país tenha seu representante indígena