Geral

Obras vão evitar enchentes em cinco bairros

Os córregos Henry Ford, do Cortume e Santa Bernadete e o Rio Vila Guaíra passam por uma transformação, que trará efeitos positivos para 57,1 mil moradores dos bairros Lindóia, Parolin, Fanny, Guaíra e Hauer. Todos são afluentes do Rio Pinheirinho e passam por obras da Prefeitura para controle de cheias e alagamentos.

Estão em execução três grandes lotes de obras de macrodrenagem na sub-bacia do Rio Pinheirinho que vão beneficiar, além do Rio Pinheirinho, o Rio Belém. Os investimentos somam R$ 121 milhões, recursos do Ministério das Cidades, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II) de Gestão de Riscos e Desastres Naturais.

Todos os trabalhos são fiscalizados e coordenados pelo Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria de Obras Públicas e Infraestrutura. “O Rio Pinheirinho é urbanizado dos dois lados e essas obras vão minimizar os riscos de enchente e alagamentos”, explicou o vice-prefeito e secretário de Obras Públicas e Infraestrutura, Eduardo Pimentel.

Ao longo do Rio Vila Guaíra e do Córrego do Cortume estão em construção vigas (lamelas) para contenção das laterais do rio. Uma máquina perfuratriz de 60 toneladas faz buracos de sete metros de profundidade, por 2,5 metros de largura. Após a escavação são colocados ferros e concreto. Esse trabalho de contenção das margens é para evitar a erosão. Toda a calha do rio será alargada a alinhada, para melhorar o fluxo da água. No fundo do rio também serão construídos indutores de retardo, para diminuir a força da correnteza.

Obras

O Córrego Henry Ford, no bairro Lindóia, é o que está com a maior parte das obras executadas, 43% de andamento. Neste lote o investimento é de R$ 42,3 milhões.

Na Vila Guaíra e Parolin, as obras no Rio Vila Guaíra e Córrego do Cortume atingiram 16% de execução. Atualmente este é o lote com maior volume de trabalho de máquinas em operação. Os investimentos são de R$ 48,4 milhões e as obras são feitas ao longo de 2,9 quilômetros.

No Córrego Santa Bernadete já foram executados 7% das obras. Neste lote são investidos R$ 30 milhões.

O Rio Pinheirinho se desenvolve em uma bacia totalmente urbanizada e a última intervenção de macrodrenagem foi na década de 1950. As obras feitas pela Prefeitura vão evitar que alagamentos e transtornos com cheias aconteçam na região.