Política

Operação da PF prende suspeitos de ameaças contra Bolsonaro e Damares Alves

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira (1) mandados de prisão contra pessoas os responsáveis por ameaças de atentado contra Bolsonaro e Damares Alves

A Polícia Federal e o grupo de segurança responsável pela posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro cumpriram na manhã desta terça-feira (1) mandados de prisão contra pessoas os responsáveis por ameaças de atentado durante a posse e contra a vida do presidente e da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. A equipe de Comunicação do novo Ministério vem monitorando as ameaças há mais de uma semana.  

Ainda não foram divulgadas mais informações sobre as prisões, mas informações preliminares dão conta que são relacionadas ao grupo Maldição Ancestral. Em seu site na internet, o grupo postou ameaças públicas ao presidente da CNBB e a Ministra.

“Reiteramos as nossas ameaças a Dom Sérgio da Rocha, presidente da CNBB e outras figuras cristãs, como Damares Alves. Talvez acabem eles como o sacerdote Ruben Dias Acantára assassinado por selvagens assassinos seriais, no México. Ou também como o missionário maldito igualmente assassinado pela tribo isolada dos selvagens “Sentinelas”’, disse a publicação do grupo Maldição Ancestral, que reivindicou na última semana de 2018.

A tentativa de explodir uma bomba próximo a uma igreja em Brazlândia na madrugada do Natal foi interceptada pela Polícia Militar e a bomba foi desarmada. O grupo ainda havia publicado em seu site uma ameaça ao presidente eleito e prometido surpresas em 1º de janeiro.