Paraná

Orquestra Sinfônica do Paraná apresenta Pedro e o Lobo

A Orquestra Sinfônica do Paraná apresentará no dia 21 de maio, às 10h30, o conto musical para crianças, Pedro e o Lobo, de Sergei Prokofiev. O concerto, com duração de 30 minutos, terá regência do maestro titular Stefan Geiger. O concerto tem o patrocínio da Copel e é uma realização do Centro Cultural Teatro Guaíra.

OBRA - Pedro e o Lobo foi escrita em 1936. A proposta didática criada por Prokpofiev é tornar os instrumentos da orquestra conhecidos das crianças. Cada instrumento é associado a um personagem e costura a história do personagem central. 

Pedro (representada pelas cordas da orquestra) desobedece à ordem do avô (fagote) e resolve capturar um perigoso lobo (trompas).

Nesta caçada, ele tem a ajuda dos animais. O passarinho Sacha (flauta), a pata Sônia (oboé), o gato Ivan (clarinete) e os tiros de fuzil (percussão).

A história é comentada por um narrador que, neste concerto, será feita pela atriz Helena de Jorge Portela. As palavras do narrador são ilustradas pela orquestra para que haja uma compreensão por parte das crianças.

PROKOFIEV – O compositor nasceu em Sontsovka, Ucrânia (antigo Império Russo) em 1891. Aos 14 anos havia composto peças para piano e orquestra e quatro óperas. 

Após a revolução de outubro de 1917, refugiou-se nos Estados Unidos e depois na Europa. Em 1936 retornou definitivamente à antiga União Soviética, fixando-se em Moscou com a esposa e dois filhos. 

Prokofiev morreu em 5 de março de 1953, no mesmo dia e na mesma hora que Stálin. Esta coincidência fez com que sua morte ficasse desconhecida dos meios oficiais: os jornais só publicaram a morte do compositor vários dias depois. Somente o programa de rádio a Voz da América noticiou o fato. 

Como ele morava próximo à Praça Vermelha, foi impossível transportar o corpo do compositor do prédio em que residia para a sede da União dos Compositores Soviéticos porque por três dias a população soviética lotou dia e noite as ruas de Moscou, chorando a morte de Stálin

Amigos e alunos de Prokofiev tiveram que decorar a funerária com flores de papel porque todas as flores disponíveis estavam reservadas para o túmulo de Stálin.

Não foi sequer possível organizar um tributo musical. Eles tocaram a marcha fúnebre de Romeu e Julieta em um velho toca-fitas. 

A obra de Sergei Prokofiev é extensa e abrange todos os gêneros. Ele escreveu peças de circunstância encomendadas pelo governo soviético e músicas para filmes do cineasta Eisenstein, entre elas, destaca-se a obra intitulada Alexandre Nevsky.