Pinhais

Pinhais alcança 3ª posição da RMC no ranking de intermediação de mão de obra

O índice é estabelecido pelo Ministério do Trabalho e se refere ao período de janeiro a dezembro de 2017
(Foto: PMP)

Em relatório da Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos (SEJU), Pinhais ocupa a 3ª posição da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) no ranking de desempenho de intermediação de mão de obra. A Agência do Trabalhador de Pinhais cumpriu 116,39% da meta estabelecida pelo Ministério do Trabalho. O índice se refere ao período de janeiro a dezembro de 2017.

No ranking, 115 agências paranaenses tiveram excelente desempenho (100% da meta ou mais), 29 agências tiveram desempenho satisfatório (mais de 75% da meta) e 72 agências tiveram desempenho baixo (menos de 75% da meta). Em 2017, a Agência do Trabalhador de Pinhais recebeu quase 9 mil requerimentos de Seguro Desemprego e 3.760 carteiras de trabalho foram emitidas.

“A Agênciado Trabalhador de Pinhais tem sido referência para outras agências, tendo em vista que em 2017 recebemos visitas de outros municípios para conhecer o trabalhado desenvolvido na intermediação de mão de obra e capacitação. Também fomos a primeira agência a disponibilizar o autoatendimento; isto permite ao trabalhador o acesso aos serviços de consultas de vagas de emprego, agendamento de Seguro Desemprego, consulta ao CNIS, entre outros”, explica Giane de Jesus, diretora do Departamento de Geração de Emprego e Renda.

Intermediação de mão de obra

De acordo com o Ministério do Trabalho (MTB), a intermediação de mão de obra visa colocar trabalhadores no mercado de trabalho, por meio de vagas captadas junto a empregadores, reduzindo o tempo de espera e a assimetria de informação existente, tanto para o trabalhador quanto para o empregador. Portanto, o serviço busca promover o encontro de oferta e demanda de trabalho.

Ainda segundo o MTB, as principais etapas da execução do serviço de intermediação de mão de obra são: inscrição do trabalhador; registro do empregador; captação e registro de vagas de trabalho; cruzamento de perfil dos trabalhadores cadastrados com o perfil das vagas captadas; convocação de trabalhadores conforme pesquisa de perfil e encaminhamento para entrevista de emprego; e registro do resultado do encaminhamento. Além disso, o serviço de intermediação de mão de obra pressupõe a administração das vagas, do momento de sua captação até seu preenchimento, ou eventualmente, até a extinção do prazo definido pelo empregador para a seleção. Em todas as etapas é necessário o gerenciamento e controle das informações.