Paraná

Porto de Paranaguá terá primeira reforma no pier de inflamáveis

Governador Ratinho Junior autorizou a contratação da empresa que fará a obra. Investimento de R$ 41 milhões será custeado pela Portos do Paraná. Haverá aumento de 60% na capacidade portuária
O governador Carlos Massa Ratinho Jr assinou autorização para contratação de empresa especializada em engenharia portuária para execução das obras de recuperação do Píer Público de Inflamáveis do Porto de Paranaguá (Foto: Gilson Abreu/ANPr)

O Porto de Paranaguá terá a primeira reforma no pier público de inflamáveis, que foi construído na década de 1940 e, desde então, recebeu apenas pequenas intervenções de manutenção. Nesta quarta-feira (06), o governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou, em reunião no Palácio Iguaçu, a autorização para contratação da empresa que fará a obra.

O investimento é de R$ 41 milhões e será custeado pela Administração dos Portos do Paraná. O prazo para execução é de 18 meses. “O objetivo do Governo do Estado é fazer do Porto de Paranaguá o mais eficiente do Brasil. Os investimentos são sempre para modernizá-lo, para transformar o Paraná em uma grande central logística”, afirmou o governador. “A ideia é aumentar capacidade, gerar emprego e a melhorar a produção como um todo”, acrescentou.

De acordo com o secretário da Infraestrutura e Logística Sandro Alex, a obra no pier aumentará em 60% a capacidade do Porto na exportação de líquidos. “Essa coalizão governamental/institucional faz do Porto de Paranaguá um símbolo da eficiência dos paranaenses”, destacou Alex.

Ele informou que para os próximos meses haverá um novo pacote de investimento logístico, com destaque para a expansão da área de contêineres do porto e a entrega do viaduto de acesso ao terminal marítimo, na entrada da cidade. A entrega do viaduto deverá ocorrer no dia 29 de julho, aniversário de Paranaguá. “Vamos comemorar com toda a população do Litoral”, ressaltou o governador.

ESSENCIAL

Os serviços que serão licitados para a intervenção no pier preveem a limpeza e recuperação de vigas, blocos, dolfins, lajes e estacas, tanto na ponte de acesso, quanto nos dois berços de atracação, interno e externo.

Segundo o presidente dos Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, metade de todos os granéis líquidos operados em Paranaguá são movimentados na estrutura pública, composta atualmente por uma ponte de acesso e dois berços de atracação, que permitem receber dois navios de forma simultânea.

Garcia destaca que o pier é essencial para o escoamento e importação de óleo vegetal, etanol e combustíveis para atender o Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. “A intervenção permitirá o aumento da competitividade e a diminuição do custo logístico. Assim, navios que escolhem o Porto de Santos podem olhar agora para Paranaguá”, disse.

INICIATIVA PRIVADA

O anúncio do investimento contou com a presença de diversos setores do empresariado local. Diretor Institucional da TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, Juarez Moraes e Silva representou a coalização da iniciativa privada. Ele destacou a parceria com o Governo do Estado. “É mais uma etapa de um governo que olha para o cidadão e para o desenvolvimento”, disse Silva.

“Essa agenda de infraestrutura que está sendo liderada pelo Governo é fundamental para o desenvolvimento, o crescimento econômico e o destravamento de uma solução logística para o Paraná”, completou Sandro Ávila, diretor de Planejamento e Logística da Klabin.

MOVIMENTAÇÃO

Em 2019, entre janeiro e maio, foram movimentadas 1,5 milhão de toneladas no pier público. Deste total, 78% (663 mil toneladas) foram de importações.

Entre as principais cargas desembarcadas, destaque para combustíveis e óleos minerais, como óleo diesel; metanol e gasolinas, com origem nos Estados Unidos, Chile, Argentina e Venezuela. As exportações somaram 23% das movimentações (181 mil toneladas). Além do óleo combustível, o Paraná é destaque na exportação de óleo de soja. O embarque tem como destinos principais a Argentina, Cingapura, Estados Unidos e Chile. A cabotagem, em que a navegação é feita dentro do país, representou mais da metade das movimentações: foram aproximadamente 712 mil toneladas de produtos que chegaram ou saíram de Paranaguá para outros portos brasileiros.

PRESENÇAS

Participaram também do ato os deputados estaduais Alexandre Curi e Artagão Júnior; além de diretores da Administração dos Portos do Paraná.