Política

Presidente da Câmara comandou invasão de terra tomando cerveja em Paranaguá

Waldir Leite foi flagrado tomando cerveja no dia da invasão do Jacarandá. O vereador usou máquinas da prefeitura para abrir uma rua de forma irregular
["O Presidente da C\u00e2mara de Vereadores de Paranagu\u00e1, Waldir Leite, na ocupa\u00e7\u00e3o irregular do Jacarand\u00e1"]

No dia da” invasão do Leite”, nome que ficou conhecida a ocupação irregular no Jacarandá, em Paranaguá, o Presidente da Câmara de Paranaguá, Waldir Leite, considerado pelo Ministério Público um dos organizadores da invasão, foi flagrado tomando cerveja.

Sob o efeito do álcool, o atual Presidente da Câmara marchou junto com ocupantes em uma área particular e lesou o erário e os donos legítimos em cerca de R$ 2 milhões. A cena de Leite bebendo nas invasões não é rara em Paranaguá e aconteceu no dia em que os donos da chácara invadida foram ameaçadas de morte. 

Neste processo Leite é réu junto com a empresa de sua família a KSW, que também presta serviço para prefeitura de Paranaguá e em outro processo, que Leite colocou nome de ruas com sua logomarca, Leite já foi condenado por atos de improbidade administrativa. Esses casos vieram à tona apenas nessa semana através deste jornalista. Ele utilizou a estrutura de caminhões de sua empresa e também de máquinas da prefeitura de Paranaguá para abrir de forma irregular a principal rua da ocupação, atuando de forma miliciana, mas com a chancela do poder legislativo parnanguara.

Waldir Leite tira sarro do MP

Crente na impunidade e nas sentenças brandas proferidas pela Vara da Fazenda Pública de Paranaguá, Waldir Leite tira sarro do Ministério Público. Pelas redes sociais, Leite comentou o assunto. “Sobre a improbidade, tenho que dar risada. Eu sofri uma condenação, mas tenho recursos, até o supremo se for o caso”, disse. Pelo telefone, a este jornalista, Leite disse que não sabia da condenação, mas pelas redes sociais disse que a notícia é velha. Leite também desafiou o Ministério Público quando disse pelas redes sociais que algumas placas de rua com o nome dele, que a justiça mandou tirar, ainda estão nos locais até hoje.

Sobre a ação do MP que relata a ocupação irregular, Leite disse também ter que dar risada. “Não podemos chamar de invasões, mas de ocupações”.  Citou dezenas de bairros que iniciaram de forma irregular. E questionou. “Será que fui eu que mandei fazer todas essas?”, indagou Leite referindo-se as invasões.