Geral

Projeto da muralha digital é apresentado às polícias do Estado

Projeto da muralha digital é apresentado às polícias do Estado (Foto: Divulgação/SMCS)

Representantes da Secretaria de Estado da Segurança Pública conheceram o projeto da muralha digital da Prefeitura, que prevê a ampliação do videomonitoramento nas principais entradas da cidade e em pontos com grande concentração e passagem de pessoas.

Em reunião nesta quinta-feira (2/8), o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, apresentou detalhes da iniciativa a policiais civis e militares e a representantes do Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep) e do Disque-denúncia 181. “Para o êxito do projeto, o trabalho integrado com as forças policiais é fundamental. Queremos ouvir opiniões, sugestões e trabalhar em parceria”, afirmou Rangel.

A muralha digital consiste na atualização das cerca de 950 câmeras existentes na cidade, na instalação de 600 novas câmeras com reconhecimento facial e leitura de placas e no aumento (de 667 para 820) das faixas de trânsito monitoradas por radares. Os novos equipamentos serão colocados em locais estratégicos, a partir do cruzamento de informações com índices criminais. 

“É um projeto que 'aumenta' nossos olhos na área da segurança pública. Daremos um salto de qualidade tecnológica, a partir da integração com imagens de radar e, num segundo momento, com câmeras da iniciativa privada”, explicou o secretário. 

Evolução tecnológica

A utilização inteligente dos equipamentos de imagem, principalmente nas áreas da segurança e do trânsito, integra o projeto Curitiba Cidade Inteligente e Segura - Muralha Digital, cujo protocolo de intenções foi assinado com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) no último mês.

O aparato vai permitir uma gestão mais eficaz e otimização no emprego do efetivo operacional e no deslocamento de viaturas, com redução no tempo-resposta para atendimento de ocorrências, além de maior controle do respeito às regras e do fluxo do trânsito.

O embrião da muralha digital é o Centro de Controle Operacional de Curitiba (CCO), que funciona 24 horas por dia e que tem integrado novos serviços municipais ao sistema de monitoramento da cidade, como o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e o Departamento de Parques e Praças.

Já estão ligados ao centro de controle a Superintendência Municipal de Trânsito (Setran), a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) com o transporte público, a Guarda Municipal, as secretarias Municipal do Urbanismo, da Comunicação Social e do Meio Ambiente (limpeza pública) e a Fundação de Ação Social (FAS).