Quatro Barras

Projeto Ensinar para Proteger forma primeira turma em Quatro Barras

Após 5 meses trabalhando lições de educação ambiental, prevenção de acidentes e cidadania, projeto encerra mas aprendizado continua
Prefeito Lara falou da satisfação de ver os resultados do projeto (Foto: PMQB)

Há cinco meses a rotina dos alunos da Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves, na Campininha, mudou. A chegada do Projeto Ensinar para Proteger - uma iniciativa da Defesa Civil de Quatro Barras e entidades parceiras - lançou novos conhecimentos que extrapolaram os muros da escola.

Foi através dele que temas como educação ambiental, prevenção de acidentes domésticos, primeiros socorros, entre uma infinidade de temas e orientações passaram a fazer parte do dia a dia dos alunos.

Ao todo foram 23 aulas, algumas teóricas, mas a maioria vivenciadas na prática. Nelas as crianças aprenderam o plano de evacuação da escola em caso de incêndios, animais peçonhentos, ataque de abelhas ou invasão de indivíduos perigosos; como agir em casos de desastres, a importância da guarda responsável, a separação correta do lixo, os perigos das ocupações irregulares, os benefícios do plantio de hortaliças, além de conhecer mais sobre a fauna e a flora, tão presentes no entorno da escola e na região onde vivem.

Formatura

Todo este trabalho culminou na última semana com a formatura dos mais de 90 alunos participantes. O evento realizado no auditório da Secretaria de Educação reuniu crianças, pais, familiares e também representantes de todas as entidades envolvidas: Defesa Civil de Quatro Barras, Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, secretarias de Educação e Meio Ambiente, Coordenadoria de Defesa Civil de Curitiba e a empresa Enaex Britanite, que foi patrocinadora do projeto.

"Investir na criança é prevenir. Não adianta apenas socorrer as vítimas de um deslizamento, alagamento ou incêndio. O principal papel da Defesa Civil é evitar que essas tragédias aconteçam e ensinar como as pessoas devem agir. Tudo isso começa pela educação, e as crianças são as melhores multiplicadoras", disse a coordenadora da Defesa Civil, Rosamaria Ferreira Duarte.

Na cerimônia, o público pôde acompanhar imagens das aulas, o andamento do projeto, as aulas de campo (na Associação de Reciclagem, na Polícia Ambiental e no Corpo de Bombeiros) e os trabalhos produzidos por cada criança. E foram centenas deles. Desenhos, produções de texto, paródias, poesias, caça-palavras, teatro de fantoches, músicas e carteirinhas de agentes mirins ilustraram tudo o que foi aprendido.

Tendo como mascote um Serelepe - animal facilmente visto na região - o projeto também lançou um concurso que premiou os dois melhores desenhos (dos alunos Luana Pires Fonseca Henimann, em 1º lugar; e Daniel, em 2º lugar), o melhor nome do mascote (sugerido pela aluna Ana Carolina Pertercem Moreira) e uma poesia sobre o projeto (de autoria da aluna Kimberly Sovenil de Oliveira).

Na cerimônia de formatura, o prefeito Angelo Andreatta (Lara) falou sobre a felicidade de ver os resultados do projeto. "É maravilhoso ver o envolvimento das crianças nesse projeto que visa a segurança e o cuidado com a vida. Investir na prevenção, na educação, é sempre o melhor caminho. Todos os envolvidos estão de parabéns pela dedicação e comprometimento", disse Lara.