Geral

Restaurada, Casa da Memória dos Mananciais reabre para visitação

Edificação era moradia do responsável pelo primeiro sistema de abastecimento de água de Curitiba e do Paraná. Reconstruída após sofrer um incêndio em 2015. é um dos sete imóveis que compunham a Vila Operária e agora abriga painéis que contam a história da conservação dos Mananciais da Serra.
Na foto, Reconstrução da casa de acordo com o imóvel original que era de 1934 (Foto: Divulgação/Sanepar)

A Casa da Memória dos Mananciais, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, está aberta para visitação. A edificação foi reconstruída, após sofrer um incêndio em 2015. Erguida em madeira, em 1934, a casa é um dos sete imóveis que compunham a Vila Operária e foi moradia do responsável pelo primeiro sistema de abastecimento de água de Curitiba e do Paraná.
Em seis cômodos, painéis fotográficos contam a história deste primeiro sistema e mostram o trabalho de conservação dos Mananciais da Serra. “Esta casa simboliza a história deste sistema e o esforço daqueles que moram aqui e se dedicaram ao início do abastecimento público. Preservar a memória, a natureza e a água é fundamental para a vida. Para termos água em quantidade e qualidade, é preciso proteger os mananciais e aqui é um exemplo de proteção do Piraquara”, destacou o presidente da Sanepar, Ricardo Soavinski.
O técnico em patrimônio histórico da Sanepar, Manoel César Santos, da área de Educação Socioambiental, diz que a exposição fotográfica revela curiosidades do saneamento em Curitiba e detalhes da história dessa obra. “É uma obra de incalculável importância que desafiou a geografia, a política e a engenharia da época”, afirma.
Ele relembrou que o primeiro sistema de abastecimento foi inaugurado em agosto de 1908. “A reabertura da Casa é uma homenagem e uma demonstração de respeito a todos os empregados que contribuíram para a construção deste sistema. Mostra também um pouco da vida de quem aqui vivia e da importância de conservar o patrimônio natural e cultural.”
O casal José Castro Barros e Anadir Terezinha de Souza Barros moraram 27 anos numa das casas da Vila Operária, tempo em que ele trabalhou para a Sanepar. Aposentado, José participou da cerimônia de reabertura do imóvel. “Antigamente, tudo era mais preservado. Não pode acabar com a memória”, disse.
VISITAS - A Casa da Memória está aberta à visitação pública, que deve ser agendada na Sanepar. Para visitas em grupos de estudantes ou pesquisadores, durante a semana, o agendamento deve ser solicitado pelo email visitas@sanepar.com.br. Durante um fim de semana por mês, o local é aberto ao público em geral. Durante a visita, existe a possibilidade de fazer trilhas ecológicas e conhecer o manancial do Piraquara.
HISTÓRIA - A Casa da Memória integra o patrimônio histórico construído da Sanepar. Restaurada em 2009, era a última das sete unidades da Vila Operária, nas quais durante muitos anos residiram os funcionários que operavam o sistema de abastecimento. A reconstrução da Casa da Memória respeita a arquitetura original. Um dos que trabalharam na reconstrução foi o técnico da Sanepar Gabriel de Souza Oliveira, que também é design de interiores.

Ele conta que foram utilizadas fotografias da casa original, uma vez que não havia planta do imóvel, além das visitas às duas outras casas ainda existentes que têm o mesmo padrão construtivo. “A partir das medidas padrões de portas e com base nos pilaretes de concreto que sustentam o imóvel, conseguimos projetar as dimensões da casa”, disse.