Quatro Barras

Secretaria de Saúde e Câmara da Cidadania promovem dia de doação de sangue

O prefeito Angelo Andreatta (Lara) e o vice-prefeito Roberto Adamoski, presidente da Câmara da Cidadania Edmirso Abreu e o Secretário Nacional da Juventude, Francisco de Assis de Mello Filho apoiam a campanha de doação de sangue

 

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) estará recebendo nos próximos dias (20 e 27) de maio os quatrobarrenses que queiram doar sangue. A iniciativa da Secretaria de Saúde em parceria com o Hemeparconta com o apoio Câmara da Cidadania e tem o objetivo de levar pelo menos cento e vinte pessoas para doar sangue nesses dias.

O suporte logístico com o transporte dos munícipes até o Hemepar está a cargo da secretaria de saúde. Haverá saídas do pátio da prefeitura às 8h e 13h, os interessados podem fazer um cadastroantecipado pelo telefone 3671-8870, ou comparecer no dia e horário marcados. Os doadores do município devem usar o código 1010 no Hemepar.

Podem doar sangue pessoas que tenham entre 16 e 69 anos que gozem de boa saúde. Os menores de dezoito anos devem ter autorização e ser acompanhados dos pais ou responsáveis. O doador precisa pesar mais de cinqüenta quilos, estar bem alimentado e descansado. É preciso apresentar documentos de identidade com foto.

É bom ficar atento para alguns impedimentos temporários para a doação de sangue. Se a pessoa estiver com gripe ou diarreia, grávida, ou ter ingerido bebida alcoólica horas antes. Ou ainda, ter feito tatuagem ou piercing nos últimos doze meses. Também fica impedido de doar sangue quem tenha feito tratamento dentário nos últimos sete dias antes da doação.

Alguns fatores podem caracterizar impedimento definitivo na doação de sangue. A pessoa que tenha tido hepatite viral após os dez anos de idade, ou apresente quadro de diabetes insulinodependente. Ficam impedidos definitivamente de doar sangue pessoas que sofram de epilepsia, hanseníase, doenças renais crônicas, câncer ou que tenha casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) na família. Também ficam impedidas as pessoas que apresentem evidências clínicas ou laboratoriais de doenças transmissíveis como, hepatite B e C, vírus (HIV) e doenças associadas ao Vírus Linfotrópico da Célula T Humana, (HTLV), além de doença de chagas ou sejam usuários de drogas injetáveis