Pinhais

Setembro Amarelo reforça conscientização sobre a prevenção do suicídio

Em Pinhais, a prevenção ao suicídio é tema debatido pelo Núcleo Municipal Intersetorial de Prevenção a Violência e Promoção da Cultura da Paz
(Foto: PMP)

Realizado desde 2014, o Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito desta realidade no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

Em Pinhais, a prevenção ao suicídio é tema debatido pelo Núcleo Municipal Intersetorial de Prevenção a Violência e Promoção da Cultura da Paz. Para este ano foram confeccionados materiais informativos para distribuição à população em geral e programadas rodas de conversa para debate do tema entre adolescentes, idosos, profissionais da saúde, do Conselho Tutelar, da educação, assistência social e esporte e lazer. No município, nos últimos cinco anos foram registrados 403 tentativas de suicídio, sendo 157 casos no ano de 2017.

Iniciado no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), o Setembro Amarelo realizou as primeiras atividades em 2014, concentradas em Brasília. Em 2015 conseguiu uma maior exposição com ações em todas as regiões do país. Mundialmente, a Associação Internacional para Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa, vinculado ao dia 10 do mesmo mês no qual se comemora o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Números altos

O suicídio é um problema de saúde pública, que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais quem alguém próximo está com ideias suicidas. A cada 40 minutos, uma pessoa tira a própria vida no Brasil, somente em 2016 o país registrou 10.575, segundo o Ministério da Saúde. A pasta pretende diminuir as taxas de suicídios no país em 10% até 2020.

Os especialistas concordam que cada caso tem sua subjetividade própria e que todos envolvem uma série de fatores. O tratamento, tanto com remédios psiquiátricos quanto com psicoterapia, leva tempo para surtir efeito. A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário que a pessoa busque ajuda e atenção de quem está à sua volta, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.

Buscar ajuda

O CVV realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. O contato pode ser realizado por telefone – Disque 188, email e chat - www.cvv.org.br (24h por dia).

Também é possível buscar ajuda nos serviços de saúde: CAPS e Unidades de Saúde. Em casos de emergência acionar SAMU (192), UPA, Pronto Socorro e Hospitais.