Quatro Barras

Teatro de sombras encanta crianças e adultos

Foto: PMQB

 

A semana de 17 a 20 de abril trouxe aos alunos da rede municipal de ensino de Quatro Barras muito encantamento através do teatro de sombras da companhia “KARAGOZWK”. A peça Irmão Zulus, do diretor e ator Marcello Andrade Barbosa faz parte do projeto “Profice” (Programa de Fomento e Incentivo à Cultura) da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná com o apoio da Copel.

A secretária de Educação, Adriana Túlio, fez questão de dizer que o ganho cultural que as crianças do ensino fundamental têm com essas iniciativas é inquestionável. Para ela, oportunizar acesso à cultura é dar aos alunos uma perspectiva de um mundo até então inacessível aos pequenos. “Ver o brilho no olhar dos nossos alunos nos faz pensar que todo o esforço dos profissionais de educação é recompensado”, enfatiza Adriana.

Para a professora Célia Andreatta Zattoni que acompanhou as turmas dos 1°, 2° e 3° anos a apresentação teatral foi uma oportunidade única. Segundo Célia, os alunos trabalham conteúdos lúdicos nas aulas de arte e essa proximidade com o mundo encantado do teatro de sombras aflora neles o gosto pelo tema.

“As crianças têm na imaginação uma ferramenta poderosa de aprendizado. Dar a elas acesso ao teatro, à música é criar uma ponte para o imaginário infantil”, diz Célia. A professora lembra que esse jogo de luz e sombra provoca nas crianças uma reação imediata. “Eles saem do espetáculo brincando com as sombras na parede. Com certeza essas crianças terão muitas histórias para contar e novas brincadeiras a partir desse contato com a arte. Essa interação entre cultura e educação só produz bons frutos”, disse.

A peça é baseada na cultura africana. O texto original de Rogério Andrade Barbosa é transformado dramaturgicamente em luz e sombras. A trilha sonora representa um poderoso instrumento de interpretação. A pesquisa musical e mixagem da peça ficou à cargo de Ivan Halfon. Os atores (manipuladores), Marcello Santos e Daniele Madrid trabalham há mais de cinco anos juntos. O espetáculo itinerante faz parte do projeto que visa divulgar os temas afro-brasileiros.

O espetáculo percorreu três cidades da região. Antonina, Morretes e Quatro Barras. Foram dezenas de apresentações. Em Quatro Barras, os espetáculos aconteceram no auditório da nova sede da Secretaria de Educação. Mais de 500 alunos da rede municipal de ensino tiveram a oportunidade de ver a peça.

Os atores interagem com os espectadores antes e depois do espetáculo. A história dos três irmãos africanos traz uma reflexão sobre o cuidado e o respeito com todas as formas de vida do planeta. Para Marcello Santos, ator, diretor e manipulador, fazer um espetáculo para crianças é o mesmo que voltar a ser criança. Marcello possui mais de quarenta títulos ao longo da carreira, mas para ele, Irmãos Zulus é especial. "É uma peça que nos permite passar uma mensagem contemporânea, uma oportunidade de levar a luz e a magia do teatro onde houver escuridão cultural”, disse o ator. “Esta história é rica literatura que veio para nós do povo Zulu e nos inspira a uma melhor relação entre homem e a natureza. Um provérbio Zulu nos ensina: a terra como a chuva não pertence a ninguém, deve ser dividida por todos”, diz Marcello.

A atriz e manipuladora Daniele Madrid fica emocionada com a repercussão da peça no público infantil. Ela diz que optou pelo teatro de sombras por ter se apaixonado pela linguagem. “O teatro de sombras nos proporciona um encantamento ainda maior. Contar uma história, usando como recurso luz e sombra, é mágico. É só ver o brilho nos olhos das crianças”, diz Daniele.