Geral

Urnas eletrônicas do Paraná passam por auditoria no Tribunal Regional Eleitoral

(Foto: Divulgação)

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) realiza, nesta sexta-feira (19), uma auditoria em quatro urnas eletrônicas do Paraná e em duas de Santa Catarina que foram usadas no primeiro turno das eleições deste ano.

A medida foi tomada após pedido da Comissão Provisória do Partido Social Liberal (PSL), que teve como base reclamações de eleitores que afirmaram que os equipamentos estava encerrando as votações antes que eles apertassem o botão “Confirma”. De acordo com o tribunal, foram recebidas, ao todo, cerca de 800 reclamações de eleitores paranaenses no primeiro turno.

Ontem (18), o TRE-PR realizou uma audiência pública para explicar como será o procedimento.

As urnas que serão auditadas estavam na 1ª Zona Eleitoral de Curitiba, nas seções 654, 655, 664 e 674, do Colégio Positivo Júnior; na 178ª Zona Eleitoral de Curitiba, na seção 114, localizada no Colégio Angelo Volpato; na 9ª Zona Eleitoral de Campo Largo, na seção 292, localizada na Escola Municipal Vereador José Andreassa. Também serão auditadas, de Santa Catarina, as urnas da 84ª Zona Eleitoral de São José, seção 225; e da 100ª Zona Eleitoral de Florianópolis, seção 262.

 

A auditoria será feita por três técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), três do TRE-PR, um da Polícia Federal (PF), um indicado pelo PSL, partido de Jair Bolsonaro, que fez o pedido, e um pelo PT, partido do presidenciável Fernando Haddad.

Também participam representantes doo Ministério Público Federal (MPF), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp), entre outros.

A auditoria vai verificar se os sistemas instalados nas urnas auditadas são os mesmos que foram lacrados pelo TSE; se as urnas estavam em perfeitas condições de uso e funcionamento; se há indícios de qualquer espécie de fraude no sistema ou no funcionamento das urnas. Ao fim do trabalho, os técnicos vão responder à pergunta: “Os problemas relatados foram decorrentes de fraude, de modo a modificar a intenção de voto do eleitor?”.

As conclusões serão discutiras em sessão que ainda não tem data marcada para acontecer.